Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Corinthians segura o São Paulo, que vira líder provisório

Empate sem gols no Morumbi coloca o time tricolor à frente do Vasco pelo saldo. Cariocas jogam nesta quinta

AE |

selo

Um clássico sem gols, sem cartões vermelhos, sem lances polêmicos, mas mesmo assim bastante tenso. Assim foi o empate em 0 a 0 entre São Paulo e Corinthians, na noite desta quarta-feira, no Morumbi, perante 44 mil torcedores. O resultado deixou o time do Morumbi na liderança do Campeonato Brasileiro, com 45 pontos, à frente do Vasco pelo saldo de gols. Os cariocas, porém, recebem o Atlético-GO, quinta, no Rio, e podem se distanciar na ponta em caso de vitória. Apesar da má fase, o Corinthians ainda é o terceiro, com 44.

Entre na torcida virtual do seu time e convide seus amigos

A partida desta noite mostrou por que Adilson Batista e Tite são contestados por seus torcedores. No lado são paulino, a falta de um centroavante impediu que o time assustasse mais Julio Cesar. Já entre os corintianos, a defesa, sem Chicão, falhou grotescamente três vezes e quase deu a vitória de bandeja.

Veja a tabela do Campeonato Brasileiro

Os dois times voltam a campo no domingo, às 16h, pela 26.ª rodada. O São Paulo tem confronto direto pelas primeiras posições contra o Botafogo, no Rio. O Corinthians joga mais uma vez na capital paulista, desta vez na sua casa, o Pacaembu, contra o Bahia. Casemiro e Paulinho, que receberam o terceiro amarelo nesta noite, desfalcam suas equipes.

O jogo
Apesar da desentrosada formação defensiva, com Wallace e Paulo André na zaga e Leandro Castán improvisado na esquerda, o técnico Tite não teve receio de apostar nas linhas de impedimento. E elas deram certo em todo o primeiro tempo. Em 45 minutos, por oito vezes os são-paulinos ficaram em posição ilegal, matando diversos ataques dos donos da casa, principalmente pelo posicionamento errado de Dagoberto.

Mesmo com tantos ataques desperdiçados por impedimentos, o São Paulo foi mais perigoso no primeiro tempo, principalmente por erros da defesa corintiana. Logo aos 4 minutos, Alessandro saiu jogando errado e a bola sobrou para Dagoberto, que chutou rasteiro, para boa defesa de Julio Cesar. Aos 32, quem errou foi Wallace. Lucas fez o desarme, Dagoberto recebeu, devolveu para o meia, mas este chutou de primeira, fraco, sem assustar o goleiro.

Mais preocupado em marcar do que em atacar nos primeiros minutos, o Corinthians demorou a arriscar. Quando o fez, abusou dos cruzamentos na área. A melhor chance foi quando Rogério Ceni saiu caçando borboletas, falhou, e permitiu que Emerson recebesse na pequena área. O atacante, porém, não conseguiu pegar em cheio na bola e desperdiçou a oportunidade.

AE
Corinthians deu trabalho para Rogério Ceni, principalmente em jogadas aéreas

Por conta das muitas faltas feitas pelo Corinthians, o São Paulo também tentou bastante por meio da bola aérea. Numa cobrança de Dagoberto, aos 43, Casemiro cabeceou na trave. O rebote ficou com Piris, que chutou por cima. Praticamente no lance seguinte, o paraguaio teve outra oportunidade, após linda jogada de Wellington, mas carimbou a zaga.

Na segunda etapa, com o meio-campo amarrado e o Corinthians bem fechado, só sobrava ao São Paulo a opção de jogar pelas pontas, principalmente a esquerda, com Cícero e Juan. Apesar de o time alvinegro ter primeiro o improvisado Leandro Castán e depois Fábio Santos, fora de forma, no seu lado esquerdo da defesa, o São Paulo pouco atacava com Lucas e Piris. E o time da casa ainda sentia falta de um centroavante. Diversos cruzamentos atravessavam a área sem nenhum são-paulino chegar perto de desviar.

Por conta de lesões, os dois treinadores tiveram que mexer. No Corinthians, saiu Liedson para entrar Danilo. No São Paulo, Piris deixou o campo para a entrada do volante Rodrigo Caio - Wellington foi para a lateral. E foi nas costas dele que saiu melhor jogada dos visitantes no jogo. Fábio Santos botou a bola na cabeça de Emerson, mas o atacante, livre no meio da área, cabeceou por cima do travessão.

Para tentar corrigir a dificuldade do São Paulo de trabalhar pelo meio-campo, Adilson Batista trocou Cícero por Rivaldo. Nada mudou. Voltou a trocar seis por meia dúzia, com Marlos na vaga de Dagoberto. Num lance do ponta pela esquerda, Wallace falhou e Wellington pegou em cheio na bola, mas mandou na rede, pelo lado de fora.

No finzinho, os dois times tiveram ótimas oportunidades de marcar. Num escorregão de Rodrigo Caio, Emerson puxou o contra-ataque, deixou William no mano a mano com a defesa, mas a zaga conseguiu fazer o corte. No último lance, numa falta quase que na linha lateral da área, Rivaldo tentou chutar direto para o gol e mandou por cima.

FICHA TÉCNICA
SÃO PAULO 0 X 0 CORINTHIANS

Local: Estádio do Morumbi, em São Paulo (SP)
Data: 21 de setembro de 2011, quarta-feira
Horário: 21h50 (de Brasília)
Público: 44.631 pagantes (44.950 total)
Renda: R$ 1.282.520,00
Árbitro: Wilson Luiz Seneme (Fifa-SP)
Assistentes: Roberto Braatz (Fifa-PR) e Altemir Hausmann (Fifa-RS)
Cartões amarelos: Casemiro (São Paulo); Paulinho e Emerson (Corinthians)

SÃO PAULO: Rogério Ceni; Piris (Rodrigo Caio), João Filipe, Rhodolfo e Juan; Wellington, Carlinhos Paraíba, Casemiro e Cícero (Rivaldo); Lucas e Dagoberto (Marlos)
Técnico: Adilson Batista

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Wallace, Paulo André e Leandro Castán (Fábio Santos); Ralf, Paulinho e Alex (Jorge Henrique); Willian, Emerson e Liedson (Danilo)
Técnico: Tite

Leia tudo sobre: são paulocorinthiansbrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG