Tamanho do texto

Clube ganhou mais receitas, porém aumentou as dívidas nos últimos três anos da gestão Andrés Sanchez

O Corinthians divulgou na manhã desta terça-feira seu terceiro relatório de sustentabilidade da gestão de Andrés Sanchez numa iniciativa inédita entre clubes de futebol no mundo. Auditado pela Price Waters House Coopers e com padrão GRI, usado pelas empresas estatais da Dinamarca e da Suécia para publicação e demonstração de lisura de seus balanços financeiros, o relatório aponta que o clube fechou 2010, o ano de seu centenário, com uma receita de R$ 212,6 milhões, 17% a mais que em 2009.

Balancete mostrado no relatório do Corinthians
Reprodução
Balancete mostrado no relatório do Corinthians

O livro de 68 páginas relata todas as atividades desenvolvidas pela atual gestão e exalta especialmente os números do balancete divulgado em março - apesar de a dívida corintiana ter passado de R$ 99,8 milhões para R$ 122,1 milhões, as receitas também tiveram salto de R$ 151,1 milhões para R$ 177,7 mihões, isto, sem considerar a transferência de atletas.

Siga a página do iG Corinthians no Twitter

"Nossa política foi de fazer um time competitivo e administrarmos a dívida", defendeu o diretor de finanças do clube, Raul Corrêa da Silva, após a apresentação do livro. "Quando assumimos, tínhamos R$ 100 mi de dívida e R$ 60 mi de receitas totais. Isso mudou substancialmente, agora nosso faturamento é muito superior ao valor do endividamento, que está sob controle".

Entre para a torcida virtual do Corinthians e convide seus amigos para entrarem também

Para o presidente do clube, Andrés Sanchez, a dívida do Corinthians deveria ser ainda maior do que é atualmente. "Se eu não tivesse feito o CT (Joaquim Grava) e contratado o Alex , a dívida estaria paga. Quem acha que o Corinthians não tem que ter dívida é hipócrita. Tinha que ser de R$ 1 bilhão, mas sabendo pagar as contas do clube diariamente", disse o mandatário, que pagou R$ 14 milhões por Alex e já gastou R$ 30 milhões no centro de treinamento do clube.

A publicação, editada em três idiomas (português, inglês e espanhol), será entregue aos principais clubes e confederações de futebol do mundo e estará disponível no site corintiano. "Já mandamos para o Barcelona e para o Manchester United", disse Corrêa.

O livro apresenta informações positivas e negativas e divulga contas e impactos econômicos, ambientais e sociais a todas as partes interessadas - como sócios, entidades, fornecedores, funcionários, torcida, mídia, bancos, TVs, equipe profissional e agente de jogadores.

"Esses relatórios não avalizam a empresa, mas dizem o que ela está fazendo. As informações foram auditadas por entidades externas independentes, o que também não é trivial para um clube de futebol", elogiou Carlos Eduardo Lessa Brandão, vice-presidente do Conselho de Stakeholders da Global Reporting Initiative, organização que direciona a confecção de relatórios de sustentabilidade.

*com Gazeta