Com muita tensão, confusão e homenagem a Sócrates, o Corinthians é campeão brasileiro de 2011

null

A emoção daqueles quatro minutos após o final do jogo entre Corinthians e Figueirense em Florianópolis agora é eterna. Uma semana depois e após 90 minutos de tensão contra seu maior rival, o Corinthians empatou com o Palmeiras por 0 a 0 com direito a muita confusão nos minutos finais e é o campeão brasileiro de 2011. Não tem mais volta, não tem mais bala Juquinha, não tem mais Vasco ou rival nenhum para tentar atrapalhar. O Palmeiras tentou, mas não adiantou. O Corinthians é pentacampeão brasileiro no dia que perdeu um de seus maiores ídolos: Sócrates .

Especial Corinthians campeão: Conheça todos os heróis do pentacampeonato brasileiro

As homenagens ao “Doutor” tomaram conta do Pacaembu antes da partida. Foram faixas levadas ao gramado pelo Corinthians e nas arquibancadas pelas torcidas. Centenas de camisas “8” foram vistas pelo estádio. Antes de a bola rolar, um momento de muita emoção tomou conta do Pacaembu. O minuto de silêncio foi tomado por um grito uníssono do nome de Sócrates com milhares de corintianos de punho cerrado no alto.

Veja a classificação final , com definições das vagas na Libertadores e do rebaixamento

null

A taça que será erguida nesta segunda-feira na festa da CBF para os melhores do Brasileirão em São Paulo se juntará àquelas conquistadas em 1990, 1998, 1999 e 2005. Esta porém é especial. Diferente das outras conquistas, esta foi alcançada no local que o corintiano aprendeu a chamar de lar. O Pacaembu se derramou em lágrimas de alegria dos mais de 37 mil corintianos que viram o time do povo, como eles gostam de chamar o Corinthians, chegar ao seu primeiro título nacional conquistado no estádio.

O jogo
Sem compromisso, o Palmeiras foi melhor nos primeiros 45 minutos de jogo. Parando as ações corintianas com faltas pontuais na intermediária, o time visitante construiu uma forma segura de chegar ao ataque. Aproveitou-se do claro nervosismo do Corinthians para levantar a bola na área corintiana e esperar por uma falha da defesa.

O resultado era bom para o Corinthians, ainda garantia o título. Talvez por isso o time de Tite pouco se arriscou. Wallace, jogando como volante, teve dificuldades na marcação de Valdivia e com algumas faltas na intermediária o Palmeiras foi chegando, mas sem muito perigo. O Palmeiras arriscou sete bolas no gol, nenhuma no alvo.

Quando o Vasco abriu o placar contra o Flamengo no Rio, aos 29 minutos do 1º tempo, a informação correu rápida entre os torcedores nas arquibancadas, mas o gol do ex-palmeirense Diego Souza não foi avisado no placar eletrônico do estádio como foram todos os outros jogos da rodada. O Corinthians seguia na mesma toada. O 0 a 0 era favorável.

Deola foi um espectador no primeiro tempo. Sem mobilidade, preso à marcação, o Corinthians não chegou com perigo ao gol rival. Os únicos chutes contra a meta palmeirense partiram dos pés de Alex em chutes de fora da área, todos por cima. Só nos acréscimos, numa trama com Alessandro e Willian pelo lado direito de ataque, o Corinthians invadiu a área. O lateral tocou para o atacante que se embananou e não conseguiu o chute. A bola sobrou para Jorge Henrique, que bateu para fora. Foram apenas três chutes a gol no primeiro tempo.

As equipes não foram alteradas na volta do intervalo, mas o jogo mudou logo de cara. Mais incisivo no ataque, o Corinthians conseguiu logo aos dois minutos o primeiro chute para defesa de Deola na partida. Willian chutou fraco, mas o lance foi simbólico. Tudo mudou a partir dali.

Aos cinco minutos, Valdivia que fazia um bom jogo, desentendeu-se com Jorge Henrique, deixou o braço no corintiano e foi expulso. Alguns minutos depois, o gol do Flamengo de Renato Abreu correu de boca a boca e a festa corintiana pareceu que ficaria menos sofrida. Só pareceu.

O Palmeiras acertou a trave do Corinthians com Fernandão em cabeçada depois de cruzamento de Marcos Assunção. Alguns minutos depois, com o Palmeiras muito bem com as alterações feitas por Luiz Felipe Scolari (entraram Fernandão, João Vitor e Maikon Leite), o Corinthians também perdeu um jogador por expulsão. Enquanto a torcida organizada ostentava uma faixa já comemorando o título brasileiro, aos 30 minutos do 2º tempo, Wallace, aposta de Tite para substituir Ralf entrou de forma violenta em Maikin Leite e também recebeu o cartão vermelho.

Depois da expulsão do corintiano, Tite resolveu fechar o time. Chicão entrou no lugar de Willian logo depois da saída de Wallace. Aos 41 minutos, saiu Liedson e entrou Edenílson. O placar era favorável. O empate no Rio também ajudava. Era questão de minutos. Não é mais. O Corinthians é campeão brasileiro mais uma vez. Ainda teve tempo de Jorge Henrique provocar o Palmeiras e levar uma rasteira de João Vitor, que também foi expulso. Uma confusão generalizada se formou, mas só adiou o que estava escrito em 27 das 38 rodadas do Brasileirão. O Corinthians é o líder. O Corinthians é o campeão brasileiro de 2011.

FICHA TÉCNICA - CORINTHIANS 0 x 0 PALMEIRAS
Local:
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 4 de dezembro de 2011, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Wilson Luiz Seneme
Auxiliares: Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Carvalho Van Gasse

Cartões Amarelos: Alex, Jorge Henrique, Alessandro, Liedson, Chicão (COR); Patrik, Leandro Amaro, João Vitor (PAL)

Cartões vermelhos: Wallace, Leandro Castán (COR); Valdivia e João Vitor (PAL)

Renda: R$ 1.326.367,00

Público: 36.708 pagantes

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Paulo André, Leandro Castán e Fábio Santos; Wallace, Paulinho e Alex; Jorge Henrique (Moradei), Willian (Chicão) e Liedson (Edenílson). Técnico: Tite.

PALMEIRAS: Deola; Cicinho (Maikon Leite), Thiago Heleno, Leandro Amaro e Gerley; Márcio Araújo, Marcos Assunção, Patrik (João Vitor) e Valdivia; Luan e Ricardo Bueno (Fernandão). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.