Ex-presidente Lula foi testemunha do evento oficial e pediu fiscalização de gastos e transparência nos processos de construção

Com Luis Inácio Lula da Silva de testemunha, o Corinthians assinou neste sábado o contrato de construção do novo estádio com a Odebrecht. Orçado em R$ 820 milhões, o estádio está previsto para ficar pronto em dezembro de 2013, mas, como o iG já mostrou , só estará 100% no meio de 2014.

Logo após a assinatura, Lula discursou ao lado de Andrés Sanchez pedindo fiscalização dos gastos e transparência em todos os processos. O ex-presidente do Brasil ainda afirmou que até agora não sabe porque o Morumbi foi excluído dos eventos Fifa.

"Hoje é um dia histórico. Tão histórico quanto o gol do Basilio contra a Ponte Preta . Eu era muito menino quando vários presidentes prometiam o estádio e finalmente o companheiro Andrés fez isso virar realidade", disse Lula sendo ovacionado pelo público.

"É importante dizer que a copa entrou na história do Corinthians e não o contrário. Quando eu ainda era presidente, a gente visitou o Morumbi, ao lado do Serra e do Kassab e para mim ia ser lá a Copa. Não sei porque, mudaram de ideia. Quem tem que explicar é o Juvenal Juvencio ou o presidente da Fifa", disse Lula.

Depois, Lula ainda cravou que a abertura será no Fielzão , contrariando os dirigentes corintianos que adotam a cautela, apesar de mostrarem otimismo em relação à definição da Fifa.

"O Corinthians, além de ter o estádio, vai ter a abertura da Copa", exclamou. "E quero aqui agradecer a Odebrecht por terem começado a construir esse estádio mesmo antes de assinar o contrato. Agora é fiscalizar o estádio, a construção e o preço, para que tudo seja justo. Vamos provar que o Corinthians é time de pobre, mas de gente digna".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.