Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Sem nova sede da CBF, SP pode abrigar Brasil em 2014

Disputa na justiça pela posse do terreno comprado por R$ 26 milhões em 2009 impossibilita construção do complexo esportivo

AE |

selo

A nova sede da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) não vai mais ficar pronta antes da Copa do Mundo de 2014. A informação é do diretor de Comunicação da entidade, Rodrigo Paiva. Por causa de uma disputa na justiça pela posse do terreno comprado pela CBF por R$ 26 milhões em 2009, não há tempo hábil para a construção do complexo esportivo. A CBF já admite que nem mesmo o centro de treinamento possa ser concluído no local, o que abriria as portas para a cidade de São Paulo receber a seleção na fase de preparação do Mundial.

O início das obras no complexo estava previsto para janeiro de 2010 e o encerramento seria até dezembro de 2012, a tempo de ser utilizado pela seleção na Copa das Confederações, em 2013. O terreno, na Barra da Tijuca, zona oeste da cidade, é vizinho a uma reserva ambiental e foi adquirido pela CBF para substituir a concentração oficial da seleção na Granja Comary, em Teresópolis, região serrana do Rio. Não há possibilidade de reocupação da Granja para que seja a casa da seleção em 2014.

Na primeira fase do negócio, a CBF pagou R$ 15 milhões ao proprietário da área de 130 mil metros quadrados. Nos últimos meses, porém, posseiros que viviam no bairro invadiram parte do terreno e depois negociaram a terra para uma construtora com sede em São Paulo. Com isso, a briga na justiça ganhou novos capítulos.

"Ainda contamos com essa perspectiva de fazer o centro de treinamento no terreno da Barra. Mas, se isso não for possível, vamos ter de buscar soluções em outras cidades e São Paulo está entre as favoritas", disse Paiva.

Em setembro de 2009, a CBF organizou uma recepção calorosa para o lançamento da pedra fundamental da nova sede. Estiveram presentes ao evento o ministro do Esporte, Orlando Silva, autoridades do Estado e do município e o presidente da Fifa, Joseph Blatter - desde então, ele não veio mais ao Rio de Janeiro.

O espaço contemplaria um museu do futebol, um moderno centro de fisioterapia, extensivo ao centro de treinamento, estacionamento para 400 veículos e ainda um hotel, que serviria de alojamento para os atletas no período pré-Mundial. A CBF vai esperar o desfecho do caso para saber se deve mudar o projeto.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG