Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Operários da reforma do Maracanã mantêm greve

Paralisação teve início após um trabalhador ficar ferido na obra. Grevistas exigem aumento salarial, plano de saúde e auxílio alimentação

iG Rio de Janeiro |

Agência O Globo
Operários realizam manifesto em frente a um canteiro de obras do Maracanã
Os quase dois mil operários que trabalham para o consórcio de empresas que cuidam da reforma do Maracanã decidiram manter a paralisação das obras no estádio. A decisão foi anunciada na manhã desta quinta-feira durante um manifesto em frente a um canteiro de obras.

A greve teve início na quarta-feira após um trabalhador ficar ferido em decorrência da explosão de um galão de combustível. Carlos Felipe da Silva cortava o objeto com uma solda, que mesmo sem líquido, explodiu. O operário foi arremessado por uma distância de aproximadamente dois metros, sofreu uma fratura no joelho e queimaduras pelo corpo.

Após os primeiros socorros no canteiro de obras, a vítima foi encaminhada de ambulância para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro do Rio. A Secretaria Municipal de Saúde informou que ele foi transferido no início da noite de quarta-feira para uma unidade particular.

"Paramos às 11h30 para o almoço e só voltamos para bater o ponto e ir embora, por volta das 16 horas. Eles nos pagam R$ 1.180,00 quando todas as empresas pagam acima disso. Além do mais, não temos planos de saúde nenhum. Estamos correndo riscos", disse um operário que não quis se identificar.

Cezar Loureiro/ Agência O Globo
Obras no Maracanã foram paralisadas após acidente na tarde de quarta-feira (17)
Paralisação

Os trabalhadores exigem aumento do piso salarial, auxílio alimentação, melhores condições de segurança nas obras do Maracanã e a disponibilização de um plano de saúde. Atualmente eles trabalham amparados apenas por um plano limitado do sindicato.

A Empresa de Obras Públicas do Estado (Emop) informou em nota que as reivindicações trabalhistas “estão sendo analisadas pelo consórcio executor das obras”. O consórcio Maracanã Rio 2014 é formado pelas empresas Odebrecht, Andrade Gutierrez e Delta.

Por meio da assessoria de imprensa, o grupo divulgou que se reuniu na manhã desta quinta-feira (18) com representantes do sindicato da categoria e da comissão de trabalhadores.

"Durante a reunião, o consórcio esclareceu que as reivindicações apresentadas estão em análise, apesar de um acordo coletivo ter sido fechado com o mesmo sindicato, em 19 de abril passado, sendo válido até janeiro de 2012", relata a nota.

Segundo comunicado, todas as afirmações do sindicato quanto às condições de segurança da obra foram respondidas. O consórcio afirma que o acidente de trabalho ocorrido na quarta-feira foi um fato isolado e suas causas estão sendo apuradas.

O acidente é mais um problema que o grupo de empresas enfrenta nas obras do Maracanã. O término da reforma está previsto para dezembro de 2012, mas o prazo já é questionado por algumas autoridades do Rio, que projetam a conclusão para fevereiro de 2013.

Veja como vai ficar o Maracanã após as obras:

*com informações da Agência Estado e Gazeta Press

Leia tudo sobre: obrasmaracanãestádiogreveparalisação

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG