Tamanho do texto

Depois de 16 anos, a seleção participa da segunda Copa da sua história; veja

Depois de 16 anos, o Senegal disputa a Copa do Mundo pela segunda vez em sua história. Com uma verdadeira façanha em 2002, na estreia em Mundiais, a expectativa do país é entrar de vez na rota das grandes competições e se firmar entre as principais seleções africanas.

Leia também: Os jogadores que estão no álbum, mas ficaram fora da Copa do Mundo

Senegal está na Copa do Mundo pela segunda vez em sua história
Reprodução
Senegal está na Copa do Mundo pela segunda vez em sua história


O país que é conhecido por ser a linha de chegada do Rally Dakar, que inclusive leva o nome de sua capital, tem uma breve trajetória em Copas. Na única participação até 2018, no entanto, o desempenho do Senegal surpreendeu.

Na Copa disputa no Japão e Coreia do Sul, os senegaleses enfrentaram o Uruguai, a Dinamarca e a então campeã mundial França, colonizadora dos africanos até 1960.

Leia também: Brasil está preparado para vencer a Copa do Mundo, diz Jairzinho

Logo de cara, um resultado considerado uma zebra histórica. Na estreia, o Senegal bateu a França, de Zinedine Zidane, por um a zero. Nas outras rodadas, empatou com Dinamarca e Uruguai, saindo invicto da primeira fase. Os cinco pontos conquistados deram aos senegaleses o segundo lugar da chave grupos e a improvável classificação às oitavas.

Na fase seguinte, o sonho se manteve vivo. Com gol na prorrogação diante da Suécia, os africanos avançaram novamente. Nas quartas de final, porém, uma outra surpresa daquela Copa encerraria a trajetória de Senegal e colocaria fim ao conto de fadas. Com gol nos acréscimos, a Turquia eliminou Senegal e interrompeu a única participação do país africano nas Copas.

Na Copa Africana das Nações, os senegaleses têm um pouco mais de tradição. São nove participações e um vice-campeonato no ano mágico de 2002.

Para voltar a participar dos Mundiais após três edições, nada melhor que uma campanha invicta. No grupo D, com Burkina Faso, Cabo Verde e África do Sul, Senegal somou seis vitórias e dois empates, terminando as eliminatórias em primeiro do grupo com cinco pontos de vantagem para o adversário mais próximo. A sólida defesa foi fundamental durante a campanha: foram apenas três gols sofridos e dez marcados.

O atual plantel senegalês tem jogadores nas principais ligas da Europa. Os campeonatos inglês e francês são os que mais cederam atletas para a seleção do Senegal, sete de cada país.

E é justamente no campeonato inglês que o principal jogador da seleção tem brilhado. Sadio Mané, atacante do Liverpool, é a principal esperança de gols da equipe senegalesa nesta edição da Copa do Mundo.

Companheiro do brasileiro Firmino, Mané fez uma excelente temporada pelos Reds, terminando com o vice-campeonato da Liga dos Campeões. O atacante, ao lado de Firmino e Salah, terminou o principal torneio de clubes da Europa como vice-artilheiro com dez gols marcados. Na temporada mais goleadora da carreira, Mané balançou as redes 20 vezes em 44 jogos na temporada 2017/2018.

Leia também: EUA, México e Canadá são escolhidos para sediar a Copa do Mundo de 2026

Desde 2011, o atacante de 26 anos atua no continente europeu e acumula passagens por time da Europa como o Metz, da França, o RB Salzburg, da Áustria, e o Southampton da Inglaterra.
Pela seleção senegalesa, Mané é convocado desde 2012 e tem 14 gols em 49 partidas.

Copa do Mundo da Rússia

Senegal está no grupo H, junto com Polônia, Colômbia e Japão, um dos mais equilibrados do torneio. É difícil cravar se conseguirá a classificação para as oitavas, mas o roteiro da última participação em Copas dá um fio de esperança aos torcedores.


    Leia tudo sobre: Futebol