Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Copa do Brasil: o troféu que falta para São Paulo e Rogério Ceni

Clube inicia na quarta-feira luta pelo título que completaria sua galeria e o currículo de seu maior ídolo

Levi Guimarães, iG São Paulo |

Um dos clubes mais vencedores do futebol brasileiro e seu maior ídolo iniciam na quarta-feira mais uma tentativa para alcançar o único título que lhes falta. São Paulo e Rogério Ceni, depois de sete anos disputando a Copa Libertadores, voltam à Copa do Brasil e dispensam o rótulo de time favorito na busca pela conquista ainda inédita.

No estádio do Morumbi, a sala de troféus do clube paulistano inclui um Mundial de Clubes da Fifa, duas Copas Intercontinentais, três Libertadores, seis Brasileiros e 21 Campeonatos Paulistas, além de taças de torneios como Recopa, Supercopa, Conmebol e Rio-São Paulo. Mas o pedestal reservado à Copa do Brasil continua vazio.

No currículo de Rogério Ceni, aparecem o mesmo Mundial, uma Copa Interncontinental (ainda como reserva de Zetti, em 93), duas Libertadores, três brasileiros, três paulistas, Recopa, Conmebol, Rio-São Paulo. A maioria dos clubes não possui uma coleção tão vasta de conquistas. Mas a Copa do Brasil, mais uma vez, é a ausência.

No ano 2000, clube e ídolo chegaram muito perto de conquistar o torneio, mas ficaram no quase. Antes de conquistar a maior parte dos títulos citados no parágrafo anterior, Rogério Ceni disputou sua primeira decisão de um campeonato nacional como titular e acabaou saindo de campo derrotado.

Depois de eliminar Comercial-MS, Sinop-MT, América-RN, Palmeiras e Atlético-MG ao longo do torneio, o São Paulo encarou o Cruzeiro na final. No primeiro jogo, apenas empatou por 0 a 0 no Morumbi. E na partida de volta, no Mineirão, perdeu por 2 a 1 apesar de ter aberto o placar. Foi a melhor campanha e a maior frustração são-paulina em onze participações na competição.

Aos 38 anos, Rogério Ceni com certeza torce para que esta seja sua última vez na Copa do Brasil, já que um eventual título garantiria a presença do clube na Libertadores de 2012, grande objetivo do capitão antes de se aposentar. Mas por enquanto, o camisa 1 não vê o São Paulo como um dos favoritos.

“Não estamos tão bem. Estamos alternando partidas boas com outras razoáveis e por isso não somos favoritos à conquista, até porque em uma competição eliminatória não tem um prognóstico tão completo como no Brasileirão, que tem 38 rodadas”, explicou o goleiro durante o evento no qual o São Paulo recebeu mais um troféu, a polêmica Taça das Bolinhas.

Ceni também volta à Copa do Brasil depois de sete anos muito próximo de alcançar mais uma marca histórica em sua carreira. Com o gol marcado no último domingo, ele contabiliza 98 com a camisa do São Paulo. Foram poucas as vezes que ele marcou dois gols em uma mesma partida, mas a partir de agora todo jogo terá essa ansiedade. E o Treze-PB é o candidato a vítima desta semana.

Leia tudo sobre: são paulocopa do brasil 2011rogério ceni

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG