Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Contra o Santa, São Paulo busca feito que não alcança há 5 anos

Última vez que time reverteu derrota por 1 a 0 no jogo de ida de um mata-mata foi na Libertadores de 2006

Levi Guimarães, iG São Paulo |

Não é à toa que os jogadores do São Paulo passaram a considerar a partida de volta contra o Santa Cruz pela Copa do Brasil, na noite de quarta-feira, às 21h50, no Morumbi, como o “jogo do ano”, além de pregar respeito ao adversário pernambucano. Se depender do retrospecto recente do clube paulista em duelos eliminatórios, a classificação para as oitavas-de-final do torneio será uma tarefa complicada.

Desde 2006, em jogo pela Copa Libertadores da América, o São Paulo não consegue reverter em um mata-mata uma derrota por 1 a 0 no jogo de ida, como é a situação atual, que dá ao rival a vantagem do empate ou até de uma derrota por um gol de diferença, caso marque pelo menos uma vez.

A última vez que o time do Morumbi “virou um jogo de 180 minutos” foi nas quartas-de-final do torneio continental daquele ano, diante dos argentinos do Estudiantes. Depois de perder o jogo de ida pelo mesmo placar da semana passada no Recife, o São Paulo devolveu o 1 a 0 e se classificou apenas na disputa por pênaltis.

Gazeta Press
Vitória por 1 a 0 no jogo de ida deu ao Santa Cruz vantagem do empate na partida desta quarta; São Paulo não reverte desvantagem igual a essa desde a Libertadores de 2006

Desde então, o time disputou 17 duelos no sistema mata-mata pela própria Libertadores, Campeonato Paulista e Copa Sul-Americana e perdeu a partida de ida em sete oportunidades. Dessas, a única vez que conseguiu avançar apesar do tropeço no primeiro jogo foi nas oitavas-de-final da Sul-Americana de 2007, contra o Boca Juniors.

Na ocasião, porém, foi o São Paulo quem pôde se aproveitar da regra do gol marcado fora de casa, ao vencer por 1 a 0 no Morumbi depois de ter perdido por 2 a 1 em Buenos Aires. Contudo, nas outras seis vezes que saiu atrás, fosse por 1 a 0 ou 2 a 1, o time acabou eliminado.

Outra análise que mostra a dificuldade que os anfitriões da próxima quarta-feira devem enfrentar é em relação a seus resultados recentes. A última vitória do São Paulo por mais de dois gols de diferença (placar necessário para garantir a classificação sem disputa por pênaltis) foi no dia 13 de março, sobre o Santo André, pelo Campeonato Paulista: 3 a 0.

Depois disso, o desempenho foi de três vitórias e duas derrotas, incluindo a da semana passada diante do próprio Santa Cruz. O problema é que duas dessas vitórias, diante de Grêmio Prudente e Mirassol, foram por 1 a 0, o que levaria para a disputa por pênaltis. Já o 2 a 1 sobre o Corinthians, se repetido, daria a classificação aos visitantes.

Por fim, a boa notícia para os são-paulinos. Se recentemente o time mostrou dificuldade para reverter uma derrota no primeiro confronto de um torneio mata-mata, a situação é diferente justamente na Copa do Brasil. Mesmo sem nunca ter vencido o torneio, nele o São Paulo tem o costume de aplicar goleadas quando é preciso.

Na última vez que participou da competição nacional, em 2003, os paulistas foram surpreendidos logo no primeiro jogo, ao perderem por 2 a 0 do São Raimundo-AM. Mas na partida de volta, fizeram 6 a 0, com cinco gols de Luis Fabiano, que ainda se recupera de lesão no joelho direito e torce pela classificação para poder estrear antes do Campeonato Brasileiro.

Já em 2002, nas quartas-de-final, o rival foi o Vasco, que venceu por 1 a 0 o primeiro jogo. Na volta, mesmo contra um adversário tradicional, o São Paulo aplicou um 4 a 0 e avançou. Foi a última vez, em qualquer competição, que o time avançou sem disputa de pênaltis em um mata-mata depois de ter perdido o jogo de ida pelo placar mínimo. E é o que todos os seus torcedores esperam que se repita na noite de quarta em Barueri.

Leia tudo sobre: são paulocopa do brasil 2011rogério ceni

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG