Como a Libertadores exige numeração fixa, o volante só usará camisa comemorativa contra o Americano

Além de valer a sobrevivência do Fluminense na Taça Libertadores, a partida contra o Nacional será a centésima de Diguinho pelo clube. Em homenagem à marca, o volante ganhou da diretoria uma camisa comemorativa com o numero 100 às costas. Mas, como a competição continental exige em seu regulamento o uso de numeração fixa, Diguinho entrará no Centenário, nesta quarta-feira, com a camisa 8. Ele só poderá usar o presente contra o Americano, no próximo domingo, em Macaé, pela Taça Rio.

Contratado em 2009, Diguinho enfrentou uma resistência muito grande por parte dos torcedores porque veio do Botafogo, clube que defendeu por quatro temporadas. Mas com personalidade de sobra e um futebol de primeira, o volante driblou a desconfiança e rapidamente incorporou o espírito guerreiro que virou marca registrada da equipe.

Diguinho enfrentou resistência por ter defendido o Botafogo
Photocamera
Diguinho enfrentou resistência por ter defendido o Botafogo

“Foi tudo difícil no início, por eu ser visto como jogador identificado com o Botafogo. A briga que tive com um torcedor atrapalhou um pouco também. Cresci com os problemas. Ser reconhecido pelo meu trabalho é o mais importante. Espero manter o nível e fazer uma história bonita aqui”, explicou.

Com mais um ano de contrato com o clube, Diguinho terá tempo para isso, mas ele pode estar certo de que já marcou sua história nas Laranjeiras. Além do titulo brasileiro, o volante está prestes a entrar para um seleto hall de atletas que passaram da casa de 100 jogos com a camisa grená, verde e branco.

Ao todo, dos 1.538 jogadores que atuaram na equipe profissional do Fluminense nos seus 108 anos de existência, apenas 183 conseguiram tal feito, o que deixa o volante honrado e certo de que fez a escolha acertada.

“Fiz a escolha certa ao vir para o Fluminense. Na época, também tinha proposta de Flamengo , Santos e Grêmio , mas foi o Fluminense que mostrou mais interesse e me ofereceu um contrato maior, que me deu mais garantia. Hoje sou muito feliz aqui”, afirmou Diguinho.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.