Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Contestado, diretor de futebol do Cruzeiro deixa o cargo

No meio da crise, Dimas Fonseca alega distância da família e dos negócios como justificativa para renúncia

Frederico Machado, iG Belo Horizonte |

A crise no Cruzeiro no início de 2012 ganhou mais um capítulo importante nesse domingo. Antes mesmo do jogo contra o Tupi, o diretor de futebol do clube mineiro, Dimas Fonseca, convocou uma coletiva e anunciou que estava deixando o cargo. Tido como um dos responsáveis pelos fracos resultados nos últimos meses, Dimas Fonseca alegou distância da família para a renúncia.

Leia também: Roger não coloca Cruzeiro entre favoritos aos títulos nacionais

Dimas Fonseca trabalhava nas categorias de base do Cruzeiro e assumiu o cargo de diretor de futebol em meados de 2010, quando o clube anunciou a saída do experiente Eduardo Maluf. Os maus resultados de 2011, quando o time quase foi rebaixado no Brasileirão, e o conturbado início de 2012 culminaram com a decisão de deixar o cargo.

Veja a classificação atualizada do Campeonato Mineiro

"O doutor Gilvan (de Pinho Tavares, presidente do Cruzeiro) tem me cobrado mais tempo e estou muito ausente dos meus negócios particulares. Estou sentindo a necessidade de voltar ao convívio da minha família, meus negócios. Mostrei minha vontade e necessidade à diretoria. Por isso hoje estou aqui, me despedindo desse cargo", anunciou Dimas Fonseca, na Arena do Jacaré.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

O ex-dirigente aproveitou para se desculpar com aqueles que não gostaram do seu trabalho. "Peço desculpas para aqueles que acham que não trabalhei como deveria. Mas estou muito tranqüilo e ciente da responsabilidade de estar nesse cargo. Saio sabendo que não agradei a todos, mas estou tranqüilo. Não saio feliz pois não tivemos um bom 2011, assim como um início de 2012. Mas acredito muito nesse grupo, buscamos as informações para montar esse elenco", declarou.

Perguntado se a renúncia estaria ligada à rejeição de parte da torcida cruzeirense, Dimas negou. "Parte da torcida não está feliz com meu trabalho, mas ninguém consegue agradar a todos. A minha vontade era de acertar em tudo, mas não consegui. Esse não é o motivo da minha saída", afirmou.

O presidente do Cruzeiro, Gilvan de Pinho Tavares, revelou que tentou convencer Dimas Fonseca a não deixar o cargo, mas não teve sucesso. "Confesso que achei que com minha capacidade de convencimento conseguiria que o Dimas desistisse dessa intenção que ele colocou para nós. Mas os filhos estão cansados de vê-lo sofrer. Não é fácil esse cargo, principalmente quando os resultados não chegam. Ele está cansado, nem férias tira", disse Gilvan de Pinho Tavares, que ainda não anunciou o substituto de Dimas Fonseca.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e comente a saída de Dimas Fonseca

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG