Carta emitida pela presidência do órgão informa que inquérito foi concluído e aponta desvio indevido de direitos sobre jogadores

A presidência do Conselho Fiscal do Flamengo emitiu nota de esclarecimento aos seus membros, nesta sexta-feira, informando que a comissão de inquérito sobre a parceria com o “grupo empresarial” CFZ/MFD concluiu seu trabalho, tendo comprovado, “até a presente data”, que houve desvios irregulares de direitos econômicos sobre jogadores para o grupo CFZ/MFD. De acordo com a nota, a documentação que comprova essas irregularidades está à disposição dos conselheiros, “em horários previamente combinados com a Secretaria do Conselho”.

Siga o iG Flamengo no Twitter

A carta afirma que foram propostas duas representações, com “pedido de suspensão dos responsáveis até a devolução dos ativos transferidos indevidamente, e uma Comunicação de Transgressão Estatutária, com pedido de providências do Poder competente, pela remuneração indevida de membro de Poder”. O documento não especifica, porém, se essa remuneração se refere ao salário de Zico como diretor executivo de futebol ou de algum outro envolvido no caso.

O presidente do Conselho Fiscal do Flamengo, Leonardo Ribeiro, não retornou até o momento as ligações do iG. Foi informado pelo Conselho Fiscal que ele não está nas dependências do clube, na Gávea. Zico, dono do CFZ e ex-dirigente do Flamengo , também não retornou ao recado deixado em seu celular no início da tarde desta sexta-feira. A carta emitida pelo Conselho Fiscal é datada de 11 de maio.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.