Proposta inglesa foi rejeitada por 172 votos. Presidente da FA lamenta que entidade máxima se torne alvo de críticas

As eleições à presidência da Fifa ocorrerão mesmo nesta quarta-feira. Por 172 votos, a proposta da Inglaterra em adiar o pleito devido à suspeita de corrupção na entidade máxima foi rejeitada. Candidato único, o suíço Joseph Blatter deverá ser eleito para seu quarto mandato .

"A coroação sem oposição é como um mandato fraudulento. Estamos sendo alvos de críticas de governos, patrocinadores, meios de comunicação e publico em geral", lamentou David Bernstein, presidente da FA (sigla em inglês para Associação de Futebol da Inglaterra), durante o Congresso da Fifa, em Zurique.

Bernstein propôs o adiamento devido à troca de acusações e suspeitas de corrupção entre membros da Fifa no processo da escolha do Catar como sede da Copa do Mundo de 2022. Ele queria também tempo para o surgimento de um novo candidato à presidência.

Presidente da AFC (Confederação Asiática de Futebol) suspenso provisoriamente pela Fifa, Mohammed Bin Hammam enviou nesta quarta-feira uma carta ao organismo para protestar "contra o modo injusto" como foi "tratado pelo Comitê Ético e pela administração" da entidade.

Bin Hammam, que seria o rival único de Blatter na eleição, explicou em seu site que não pôde completar seu recurso de apelação e que lhe negaram sua última oportunidade para participar do Congresso desta quarta-feira. "Estou muito triste e desgostoso pelo que ocorreu nos últimos dias. Nunca aceitarei como foram manchados meu nome e minha reputação. Lutarei pelos meus direitos", assinalou o catarino.

*Com EFE

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.