Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Como técnico do Fla, Luxemburgo nunca perdeu para pequenos do Rio

Invencibilidade de 34 jogos não enche os olhos do treinador para a decisão da Taça GB contra o Boavista

Thales Soares, iG Rio de Janeiro |

Aos 58 anos, Vanderlei Luxemburgo terá a chance de ganhar o seu segundo título da Taça Guanabara, como técnico do Flamengo, domingo, contra o Boavista, às 16h (horário de Brasília), no Engenhão. O fato de a decisão ser contra um adversário de menor expressão não enche seus olhos, mas o seu retrospecto nesse tipo de jogo só faz aumentar o otimismo. Somadas as três passagens, foram 34 jogos contra os clubes pequenos do Rio sem derrota. São 27 vitórias e apenas sete empates, com 90 gols marcados e 27 sofridos.

Este ano, no Campeonato Carioca, ele disputou seis jogos contra os clubes de menor expressão. Venceu todos, inclusive, o Boavista, por 3 a 2, num jogo em que o Flamengo chegou a estar vencendo por 2 a 0, mas permitiu a reação do rival, e saiu de campo com a vitória graças a um gol de Negueba nos minutos finais.

Vipcomm
Luxemburgo tem retrospecto de 27 vitórias e sete empates contra os pequenos do Rio de Janeiro
O currículo de vitórias contra adversários sem tradição engloba a Copa do Brasil. Em sua segunda passagem pelo clube, em 1995, ele levou o Flamengo às semifinais, quando foi eliminado pelo Grêmio. Antes, venceu Souza-PB, Gama-DF e Kaburé-TO, duas vezes cada (também passou pelo Cruzeiro). Com a vitória sobre o Murici-AL este ano, são sete vitórias em sete jogos contra clubes menores.

As lições do passado para Luxemburgo estão em outro clube. Quando foi técnico do Palmeiras, acabou eliminado da Copa do Brasil em duas oportunidades por adversários de divisões inferiores do país. Primeiro contra o Ceará, nas oitavas de final da competição em 1994. Depois, em 2002, na eliminação para o ASA na primeira fase.

“Isso já aconteceu comigo duas vezes. O Boavista chegou por méritos e eliminou o campeão brasileiro (Fluminense) na semifinal. Vamos respeitar e jogar a decisão, porque não funciona essa história de que o Flamengo já ganhou. Vamos ter que jogar muita bola”, avisou o treinador, campeão da Taça Guanabara em 1995, quando o Flamengo venceu por 3 a 2 o Botafogo na final.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG