Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com vantagem inglesa, Barcelona e Arsenal duelam pela Liga

Na outra partida desta terça, a Roma terá que vencer o Shakhtar, na Ucrânia, para avançar às quartas de final do torneio

Mário André Monteiro, iG São Paulo |

A Liga dos Campeões da Europa volta nesta terça-feira de Carnaval com dois jogos válidos pela volta das oitavas de final. Na Espanha, o Barcelona precisa reverter a vantagem do Arsenal, vencedor do primeiro duelo na Inglaterra por 2 a 1. Já na Ucrânia, o Shakhtar Donetsk tentará confirmar a classificação contra a Roma, após o bom triunfo na Itália por 3 a 2. 

Líder absoluto no Campeonato Espanhol e grande favorito na Champions, o Barcelona entra pressionado e terá a missão de derrotar o Arsenal por, pelo menos, 1 a 0 no Camp Nou. O treinador Pep Guardiola, que recebeu alta hospitalar nesta segunda após passar cinco noites internado para tratar uma hérnia de disco, comandará a equipe do banco de reservas.

Reuters
Messi brilhou em 2010, anotando 4 gols sobre o Arsenal na goleada por 4 a 1, em Barcelona
O comandante conta com os gols de Messi, Villa e Pedro para avançar, mas já sabe que não terá Puyol e Piqué, titulares absolutos no sistema defensivo. O primeiro machucou o joelho em janeiro e ainda não se recuperou, enquanto o segundo está suspenso. Gabriel Milito deve jogar ao lado de Abidal no setor. Busquets também é opção para zaga.

O Barcelona conta com um retrospecto favorável no duelo com o Arsenal. Nas quartas de final da edição 2009/2010 da Liga, o time espanhol goleou o inglês por 4 a 1, no Camp Nou, em noite inspirada do argentino Messi, autor de todos os gols de seu time. Na ocasião, o jogo de ida tinha sido 2 a 2, no Emirates Stadium.

Apesar desse histórico recente, Guardiola prefere não apelar ao passado. "Nós não podemos acreditar que vamos conseguir inverter a situação porque goleamos no ano passado. Era outra conjuntura e o Arsenal chega bem mais forte. Além disso, no ano passado, no jogo de volta, entramos no Camp Nou classificados, pois o empate sem gols era nosso. Agora, a vantagem do empate é deles e nós que teremos que tomar a iniciativa do confronto", disse o técnico do Barcelona.

Pelos lados do Arsenal, vice-líder do Inglês, a grande novidade é a inclusão do holandês Robin Van Persie entre os relacionados para o duelo. O atacante estava com uma lesão no joelho e a previsão era de mais duas semanas de recuperação. Outro que era dúvida e deve jogar é o meio-campista espanhol Fábregas. Segundo o técnico Arsene Wenger, ele tem 90% de chances de ir a campo.

AP
Fábregas ao lado de Wenger na entrevista coletiva. Meio-campista deve jogar na terça-feira

Preocupado com o poderio ofensivo do Barça, Wenger declarou que também pretende atacar o rival, mesmo fora de casa. "Não temos uma segurança defensiva suficiente para nos colocarmos atrás e só nos defendermos. Você não pode ir a Barcelona jogando pelo 0 a 0 e não tentar marcar. Esta não é a personalidade da nossa equipe. Tentaremos marcar quando recuperarmos a bola. Precisaremos ter pernas frescas, pois vamos correr muito", disse.

Sobre o jogo de 2010, quando Barça eliminou o Arsenal, o treinador francês preferiu esquecer e focar apenas no jogo deste ano. "O Barcelona conseguiu um grande resultado no ano passado e isso nos serviu de lição. Acredito que meu grupo será capaz de escrever uma capítulo mais bonito para os nossos torcedores. Para isso vamos nos comportar de maneira bem ousada", concluiu Wenger.

Brasileiros em ação na Ucrânia
No outro duelo desta terça, a Roma terá que devolver a derrota para o Shakhtar Donetsk para seguir às quartas de final. No jogo de ida, realizado no estádio Olímpico de Roma, a equipe ucraniana venceu com três gols brasileiros. Os italianos precisam triunfar por dois gols de diferença na casa do rival - ou por um gol, desde que seja de 4 a 3 para cima.

AFP
Jadson marcou um gol no jogo de ida, na Itália
A legião de brasileiros do Shakhtar, líder disparado no campeonato nacional, estará quase completa. Luiz Adriano, Jádson e Douglas Costa, autores dos gols na Itália, além de Alex Teixeira, Eduardo da Silva e Willian estão aptos para jogar. O meia Fernandinho, machucado, fica de fora.

O ex-corintiano Willian, titular no jogo de ida, pregou respeito ao adversário. "Assim como vencemos na Itália, eles podem nos vencer aqui em casa. Nosso técnico tem conversado sobre isso com o grupo e estamos com os pés no chão, mas também sabemos que nossa equipe é forte dentro de casa", avaliou o atleta, que completará 150 jogos pelo clube ucraniano na partida.

A Roma não fica atrás e também conta com seus brasileiros para tentar decidir. Doni, Taddei e Juan têm grandes chances de sair jogando, enquanto Júlio Sérgio e Fábio Simplício ficam como opções no banco de reservas.

Pela fase atual, é difícil acreditar que o time italiano poderá reverter a situação. O clube passa por um processo de venda, o técnico Claudio Ranieri foi demitido após o jogo de ida - Montella assumiu no seu lugar - e o atacante Adriano, contratado como principal esperança para a temporada, não repetiu as boas atuações que lhe renderam o apelido de "Imperador" e deve deixar a equipe ainda neste semestre.

Programação desta terça pela Liga dos Campeões:

16h45, no Camp Nou
Barcelona-ESP x Arsenal-ING (ida 1x2)

16h45, na Donbass Arena
Shakhtar Donetsk-UCR x Roma-ITA (ida 3x2)

Leia tudo sobre: Liga dos CampeõesEspanhaInglaterraBarcelonaArsenal

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG