Com novo presidente, Corinthians tenta manter vantagem. São Paulo quer acabar com ela

O Morumbi não recebe jogos com mando do Corinthians desde 2008. Marca da gestão de Andrés Sanchez, a escolha do Pacaembu como palco exclusivo dos jogos do clube do Parque São Jorge em casa tem um quê especial nos duelos contra o São Paulo . E neste domingo, às 17h no estádio municipal, um dia depois do fim definitivo da “era Andrés Sanchez, o São Paulo, principal rival dentro e fora de campo neste período de quatro anos, tenta frear uma sequência totalmente favorável ao Corinthians.

Liedson fez três gols no último clássico
Reprodução
Liedson fez três gols no último clássico

Leia também: Corinthians defende tabu de 5 jogos contra o São Paulo no Pacaembu

O Corinthians recebe o São Paulo na sua “casa” com boas lembranças dos últimos confrontos contra o rival no Pacaembu. Na mais recente, uma goleada de 5 a 0 que não será esquecida tão cedo. O São Paulo, que terá apenas um remanescente do time goleado em junho do ano, quer esquecer o tabu de cinco jogos seguidos com vitórias corintianas no estádio e iniciar uma nova era nos confrontos, desta vez, favorável a Juvenal Juvêncio, o eterno rival de Sanchez.

E mais: Invicto contra o Corinthians, Jadson relembra goleada no Pacaembu

"Esse jogo (5 a 0) pertence ao passado. Temos que trabalhar em cima desse Corinthians, que é campeão brasileiro. O time grande entra para vencer sempre. Quando acontece o clássico existe respeito mútuo entre os jogadores e zebras podem acontecer, mas goleada em clássico é sempre zebra", disse o técnico Emerson Leão.

Veja a classificação completa e os jogos desta rodada do Campeonato Paulista

Corinthians e São Paulo sempre estiveram iguais neste Campeonato Paulista e chegam para o primeiro clássico das duas equipes no ano com os mesmos 14 pontos. Para o time mandante, o clássico serve como motivação final antes da estreia na Libertadores, quarta-feira, contra o Deportivo Táchira, na Venezuela. Para o São Paulo, é a chance de encerrar um incômodo jejum e de quebra aumentar a pressão para o rival antes de um jogo importante.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

“É um jogo diferente. A responsabilidade é buscar o melhor desempenho e um bom resultado para gerar confiança. Todos os jogos estão ligados. Não dá para segurar aqui para recuperar lá na frente. Não tem isso. A grandeza do clássico por si só obriga a buscar o melhor, independente da Libertadores”, disse Tite.

Confira ainda: Tite veta Douglas como titular mas "adianta" lista da Libertadores

null

Sanchez decidiu não mandar mais jogos do Corinthians no Morumbi depois do Campeonato Paulista de 2009, quando no confronto da primeira fase o São Paulo mandou o jogo no seu estádio e limitou a entrada de corintianos a 10% da capacidade do estádio. Houve confusão, torcedores se feriram e por pouco não houve incidentes mais graves. Depois do episódio, o Corinthians decidiu não só mandou os jogos contra seus principais rivais (Palmeiras, Santos e São Paulo) no Pacaembu. E o saldo é positivo. Foram 19 jogos, com 13 vitórias, 5 empates e uma derrota.

"Nos últimos jogos, a gente tem um empate e uma derrota feia contra o Corinthians. Agora, vamos querer vencer. Todo mundo entra mais motivado, porque é uma responsabilidade, um jogo difícil", disse o zagueiro Rhodolfo.

FICHA TÉCNICA – CORINTHIANS x SÃO PAULO
Local:
Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 12 de fevereiro de 2012, domingo
Horário: 17h (de Brasília)
Árbitro: Raphael Claus
Assistentes: Emerson Augusto de Carvalho e Vicente Romano Neto

CORINTHIANS: Julio Cesar; Alessandro, Chicão, Leandro Castán e Fábio Santos; Ralf, Paulinho e Danilo; Willian (Alex), Jorge Henrique (Emerson) e Liedson (Elton). Técnico: Tite.

SÃO PAULO: Denis; João Filipe (Piris), Rhodolfo, Paulo Miranda e Cortez; Wellington, Casemiro (Denílson), Cícero (Maicon) e Jadson; Lucas e Willian José  Técnico: Emerson Leão

Entre para a torcida virtual do seu time e comente as notícias sobre o clássico

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.