Dois clubes "gigantes" do continente voltam a medir forças na decisão da Libertadores, em Montevidéu

Santos teve dificuldades com voo, mas conseguiu embarcar para o Uruguai a tempo
Gazeta Press
Santos teve dificuldades com voo, mas conseguiu embarcar para o Uruguai a tempo
O primeiro jogo da final da Copa Libertadores da América de 2011, entre Peñarol e Santos nesta quarta-feira, às 22h (de Brasília), no estádio Centenário, em Montevidéu, no Uruguai, marcará o reencontro de dois clubes gigantes do continente. Os sete títulos de Libertadores em campo – cinco do Peñarol e dois do Santos – fazem da decisão desta temporada a final de maior tradição. Os dois clubes, inclusive, disputaram a final de 1962, vencida pelo time brasileiro .

Enquanto o Santos foi bicampeão em 1962 e 63, o Peñarol conquistou a Libertadores em 1960, 61, 66, 82 e 87 . O clube uruguaio é o terceiro maior vencedor da competição sul-americana, atrás apenas de Independiente, com sete, e Boca Juniors, com seis conquistas.

Leia também: Muricy confia em "diferenciado" Neymar para vencer o Peñarol

Apesar da tradição na competição continental, as duas equipes ficaram um bom período sem disputar uma final. A última do Santos aconteceu em 2003, quando foi derrotado para o Boca Juniors. Já o Peñarol não disputava as finais desde 1987, ano do seu último título na competição . Na oportunidade, derrotou o América de Cali em uma melhor de três partidas (0 a 2, 2 a 1 e 1 a 0), com gol decisivo de Diego Aguirre, hoje técnico do clube .

O confronto geral entre as duas equipes é equilibrado. Em 20 jogos, foram nove vitórias do Santos, sete do Peñarol e quatro empates.

Para o duelo desta quarta-feira, os dois times já estão definidos por seus treinadores. No Santos, Muricy Ramalho confirmou seus titulares sem surpresas. Nas vagas dos laterais Jonathan e Léo, que estão lesionados, o treinador irá utilizar Pará e Alex Sandro.

Na vaga do capitão Edu Dracena, suspenso, Muricy optou por Bruno Rodrigo ao lado de Durval. Como o meia Paulo Henrique Ganso continua de fora, já que se recupera de uma lesão muscular, o técnico continuará utilizando Elano como o principal criador das jogadas.

Entre para a Torcida Virtual do Santos e convide seus amigos

“O time deve jogar normal, Pará na lateral, Alex Sandro na outra. Não muda muita coisa. Já treinamos o que tínhamos que treinar a parte tática em Santos. É duríssimo o jogo, mas não podemos mudar o estilo de jogo”, afirmou Muricy Ramalho.

Santos derrotou o Peñarol na única final de Libertadores que fez contra o time uruguaio, em 1962
Gazeta Press
Santos derrotou o Peñarol na única final de Libertadores que fez contra o time uruguaio, em 1962
Já o Peñarol, apesar do mistério e dos treinos fechados comandados pelo técnico Diego Aguirre durante esta semana, já definiu sua equipe. Os uruguaios também não terão novidades e entrarão em campo com a mesma formação que encarou o Vélez Sarsfield, da Argentina, pelas semifinais da competição continental.

FICHA TÉCNICA – PEÑAROL (URU) X SANTOS

Estádio: Centenário, Montevidéu (URU)
Data/hora: 15/6/2011 - 21h50
Árbitro: Carlos Amarilla (PAR)
Auxiliares: Nicolás Yegros (PAR) e Rodney Aquino (PAR)

PEÑAROL (URU): Peñarol: Sosa; González, Valdez, Guillermo Rodríguez e Darío Rodríguez; Freitas, Aguiar, Corujo e Mier; Olivera e Martinuccio. Técnico : Diego Aguirre

SANTOS : Rafael, Pará, Bruno Rodrigo, Durval e Alex Sandro; Adriano, Danilo, Arouca e Elano; Neymar e Zé Eduardo. Técnico : Muricy Ramalho

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.