Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com sete gols no Brasileiro, Herrera quer fim de apelido negativo

Atacante argentino, que é chamado por alguns torcedores de 'quase gol', pede respeito por carreira

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

Herrera está de bem com a vida. Além da boa fase do Botafogo no Campeonato Brasileiro, o atacante argentino também vive um grande momento pessoal e já é o vice-artilheiro do time carioca no torneio, com sete gols, apenas um atrás do meia Elkeson. Apenas um assunto tira a paciência do jogador: o apelido de 'quase gol', criado por torcedores argentinos durante sua passagem pelo Gimnasia de La Plata. Chateado, ele pede para que o assunto seja colocado no passado.

"Não tem nada a ver isso. Gostaria que essa fosse a última vez que falo sobre isso. Tenho 104 gols na minha carreira, então não faz sentido. Esse apelido não saiu de nenhum repórter, de nenhum jornalista. Saiu na internet, nenhum canal informativo criou isso. Deixo para trás porque o torcedor pode falar o que quiser. Vou pensar no que a gente está fazendo pelo Botafogo, que é o mais importante", declarou Herrera.

Reconhecido por torcedores do Corinthians, que gritam seu nome quando ele enfrenta a ex-equipe, o atacante destaca que é um jogador 'sem marketing' e que conseguiu o respeito das torcidas pelo esforço e raça que demonstra dentro das quatro linhas.

"O importante para mim é que nos três times que passei, deixei alguma coisa, tenho carinho muito grande dos torcedores nos três times (Botafogo, Corinthians e Grêmio). O torcedor tem que gostar pelo que o jogador faz dentro de campo, não fora dele. Tento dar sempre o máximo em campo, não sou de fazer mídia. Fico feliz de ter o carinho da torcida do Botafogo e espero fazer ainda mais", disse o atacante argentino do Botafogo.

Leia tudo sobre: BotafogoBrasileirão 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG