Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com recorde de público, Palmeiras bate Atlético-MG e vai à semifinal da Copa Sul-Americana

Marcos Assunção, com gol olímpico, e Luan garantiram a vitória do time de Felipão contra os reservas de Dorival Júnior

Danilo Lavieri, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860100746&_c_=MiGComponente_C

Com público recorde do ano de quase 36 mil pessoas no Pacaembu, o Palmeiras venceu o Atlético-MG por 2 a 0 e se classificou para a semifinal da Copa Sul-Americana. Com gol olímpico de Marcos Assunção e outro de Luan, o time de Felipão conseguiu despachar os reservas de Dorival Junior e agora aguarda o vencedor do confronto desta quinta-feira entre Avaí e Goiás.

A vitória deixou a torcida tão feliz que Luan teve seu nome gritado, fato que dificilmente aconteceria em qualquer outra ocasião. Fato triste para os torcedores fica por conta da lesão de Valdivia. Novamente, o chileno deixou o jogo ainda no primeiro tempo. Desta vez, aos 16 minutos.

O jogo mostrou um equilíbrio além do esperado. O Palmeiras sofreu um pouco e não foi tão superior quanto o esperado. Até o primeiro gol de Marcos Assunção, o Atlético-MG mostrava-se mais tranquilo dentro de campo. Na etapa final, o Atlético-MG tentava o empate de todas as formas e deu espaço para o contragolpe palmeirense, que foi fatal aos 32 minutos.

Gazeta Press
Com dores na coxa, Valdivia deixou o jogo logo nos primeiros minutos



O jogo
O primeiro lance que fez algum goleiro trabalhar foi do Palmeiras. Aos 8 minutos, Kleber dominou a bola na intermediária, passou pela marcação de Cáceres e chutou. A bola saiu fraca e parou nas mãos de Renan Ribeiro. Um minuto depois, Valdivia fez boa jogada pela direita, tocou nos pés de Tinga, que ficou cara a cara com Renan Ribeiro. O volante chutou em cima do goleiro. Foi nesse lance que o chileno já começou a sentir dores na sua coxa esquerda pela primeira vez.

Aos 16 minutos, Ricardo Bueno recebeu bola na direita, entrou na área e deu chute cruzado muito forte. Foi o primeiro milagre de Deola, que colocou a bola em escanteio. Foi o último lance que Valdivia viu de dentro do campo. Sem condições de ficar em campo, o chileno pediu a substituição. Lincoln entrou em campo sob o grito de apoio ao chileno entoado pelos mais de 30 mil palmeirenses presentes no Pacaembu.

Aos 23 minutos, Kleber teve outra boa chance. Dentro da grande área, o atacante chutou forte e viu sua tentativa raspar a trave esquerda de Renan Ribeiro. No lance seguinte, a bola rebateu em toda a zaga e sobrou para Lincoln, que chutou em cheio nas costas de Cáceres. O escanteio seria fatal. Marcos Assunção, especialista em bolas paradas, fez a cobrança em direção ao gol, com muita curva. A bola desviou de leve em Alê e entrou no gol. Com ou sem desvio, a impressão foi de que Renan Ribeiro não defenderia a bola de nenhum jeito.

AE


O gol deixou o Palmeiras mais calmo dentro de campo. Se antes o Atlético-MG tinha mais posse de bola, depois de abrir o placar a situação se inverteu. Aos 33 minutos, Lincoln recebeu belo passe de Kleber, virou e chutou de perna esquerda. Renan Ribeiro fez boa defesa. O Palmeiras dominou o jogo a partir de então e Deola não levou mais sustos até o fim da primeira etapa.

Na volta para o segundo tempo, o cronômetro não marcava nem um minuto e Marcos Assunção voltou a incomodar Renan Ribeiro. Com um chute cruzado pela direita, o palmeirense forçou o goleiro a fazer boa defesa. Aos 14 minutos, novamente Ricardo Bueno recebeu bola pela direita e acertou a rede pelo lado de fora.

O Palmeiras voltou para o segundo tempo com pouca vontade de aumentar o placar. Muito recuado, o time de Felipão dava espaços para o Atlético-MG, mas o time de Dorival Junior não conseguia converter o maior domínio de bola em gols. Nicão e Serginho entraram em campo para tentar mudar essa situação, mas não tiveram tanta eficiência. Alguns minutos depois, foi a vez de Diego Tardelli deixar o banco de reservas, assumindo o posto que era de Fabiano. O time visitante tentava de qualquer forma o empate.

A primeira resposta palmeirense aconteceu aos 29 minutos. Lincoln fez boa jogada, tocou para Kleber. Com a bola pingando, o atacante errou o chute, mas inflamou o Pacaembu lotado. Aos 32 minutos, em um contra-ataque puxado por Lincoln, o Palmeiras aproveitou o enorme espaço deixado pelo Atlético-MG e liquidou a partida. Ele tocou para Luan pela esquerda, que entrou na grande área e chutou cruzado. A bola entrou no canto esquerdo de Renan e praticamente garantiu a passagem palmeirense às semifinais da Copa Sul-Americana.

Milton Trajano


FICHA TÉCNICA: PALMEIRAS 2 x 0 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio do Pacaembu, em São Paulo (SP)
Data: 10 de novembro de 2010, quarta-feira
Horário: 22h (de Brasília)
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (Brasil)
Assistentes: Altemir Hausmann e Dibert Pedrosa (ambos brasileiros)
Público total: 35.985 presentes
Renda: R$ 762.160,00
Cartões amarelos: Luan, Gabriel Silva e Tinga (PAL); Neto Berola e Jairo Campos (ATM)

GOLS:
PALMEIRAS: Marcos Assunção, aos 26 minutos do primeiro tempo, e Luan, aos 32 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Deola; Márcio Araújo, Danilo, Maurício Ramos e Gabriel Silva; Edinho, Marcos Assunção, Tinga e Valdivia (Lincoln e depois Dinei); Kleber e Luan (Pierre)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

ATLÉTICO-MG: Renan Ribeiro; Jairo Campos, Cáceres e Lima; Diego Macedo (Nicão), Alê (Serginho), Fabiano (Diego Tardelli), Edison Mendez e Fernandinho; Neto Berola e Ricardo Bueno
Técnico: Dorival Junior

Leia tudo sobre: atlético-mgcopa sul-americanafutebolpalmeiras

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG