Associação de Jogadores quer acordo coletivo para clubes. Atletas ameaçam não entrar em campo nas duas primeiras rodadas

Getty Images
Casillas, goleiro do Real Madrid, afirmou que não jogará até acordo coletivo ser assinado
Após os jogadores da Itália terem ameaçado entrar em greve caso um novo acordo coletivo não seja assinado, a AFE (Associação de Jogadores Profisionais da Espanha) anunciou, nesta quinta-feira, que pretende adotar o mesmo expediente nas duas primeiras rodadas do Campeonato Espanhol. A estreia está marcada para o dia 20 de agosto.

LEIA TAMBÉM: LFP considera greve "incompreensível"

O presidente da AFE, Luis Rubiales, esteve ao lado de 110 jogadores das duas principais divisões do futebol espanhol, entre eles, o goleiro Iker Casillas , do Real Madrid , e o zagueiro Carles Puyol , do Barcelona . Ambos são capitães de suas equipes.

El Pichichi: Espanha pode até perder vaga em torneios europeus

"Estamos unidos e dizendo basta. Todos os futebolistas tomaram uma decisão responsável, firme e unânime para convocar uma greve na primeira e na segunda rodada. Não haverá Liga se não for firmado um novo acordo coletivo. Estamos atrasados em relação a isso", comentou Rubiales.

A decisão visa a reverter uma situação preocupante no futebol espanhol. O país vive crise econômica e isso está se refletindo no esporte. Times tradicionais como Valencia, Villarreal, Sevilla e Atlético de Madri não conseguem fechar acordos de patrocínio.

"Vivemos uma situação lamentável. Não pode pedir mais dos jogadores. Não queremos mais dinheiro, apenas que os contratos sejam cumpridos. Estamos abertos a negociações", disse o dirigente.

A NFL, liga de futebol americano, teve sua temporada ameaçada durante a negociação do novo acordo coletivo, mas as partes chegaram a um acordo. O campeonato da NBA, liga norte-americana de basquete, no entanto, pode ser cancelado.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.