Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com pênalti polêmico, Corinthians bate Cruzeiro e assume liderança

Ronaldo sofreu penalidade que gerou muita reclamação do Cruzeiro. Ele mesmo cobrou e garantiu três pontos fundamentais ao clube paulista na luta pelo título

Bruno Winckler, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237860246681&_c_=MiGComponente_C

O Corinthians deixou pelo caminho um de seus concorrentes ao título brasileiro. Em um Pacaembu lotado, os donos da casa venceram o Cruzeiro por 1 a 0, com gol de pênalti de Ronaldo aos 43 minutos do segundo tempo, neste sábado. Os cruzeirenses reclamaram muito da marcação do pênalti, sofrido pelo próprio "Fenômeno" e que ainda levou à expulsão do zagueiro Gil.

Com o resultado, o Corinthias assumiu provisoriamente a liderança do Campeonato Brasileiro com 63 pontos, três de vantagem para o adversário deste sábado. O time mineiro fica com 60 pontos e vê suas chances de título diminuírem restando agora três jogos para o final do Brasileiro.

Para terminar a rodada em primeiro, o Corinthians tem de torcer agora por um tropeço do Fluminense, que enfrenta o Goiás neste domingo no Engenhão. O time carioca tem 61 pontos e, se não vencer, terminará a rodada em segundo lugar, atrás do Corinthians.

Com a vitória, o Corinthians praticamente carimba sua vaga para a Copa Libertadores de 2011. A vantagem agora para o quarto colocado é de sete pontos, restando nove em disputa.

Veja o pênalti que decidiu o jogo



O jogo
O Cruzeiro não se amedrontou no Pacaembu lotado. Foi o time mineiro que tomou a iniciativa do jogo. O caráter decisivo da partida obrigou o técnico Cuca a colocar sua equipe para atacar o Corinthians desde o começo.

Com três zagueiros ¿ Marquinhos Paraná compôs a defesa ao lado de Gil e Léo ¿, o Cruzeiro liberou os alas Jonathan e Gilberto e dificultou muito o trabalho do meio-campo corintiano. Com tantas frentes para chegar ao ataque, o time mineiro encontrou brechas no sistema de marcação do Corinthians e dominou as ações nos primeiros 15 minutos.

Logo aos quatro minutos Thiago Ribeiro tabelou com Jonathan, que colocou Wellington Paulista na cara do gol. Um pouco adiantado, o atacante não tocou para as redes, mas a chance clara criada pelo Cruzeiro deu o tom de como o técnico Cuca gostaria de ver sua equipe. Sempre em cima do Corinthians, sem dar espaço para os paulistas criarem jogadas.

O Corinthians só conseguiu equilibrar o jogo quando Dentinho e Elias passaram a se revezar pelo lado esquerdo do ataque. Trocando passes e contando com Ronaldo como referência no centro do ataque, o Corinthians mostrou que estava acordado na partida. Sem muita eficiência, é verdade, mas com um mais de posse de bola, impossibilitando que o Cruzeiro chegasse com o mesmo ímpeto que demonstrou no início do jogo.

O primeiro tempo terminou como começou. Com as duas equipes se respeitando e pensando duas vezes antes de atacar. O Cruzeiro teve leve vantagem na posse de bola com 56%, contra os 44% do Corinthians. Mesmo com menos tempo com a bola nos pés, foi do Corinthians a melhor chance do jogo nos primeiros 45 minutos.

Nos acréscimos do primeiro tempo, Alessandro lançou Elias nas costas da defesa cruzeirense e o volante saiu na cara de Fábio. O goleiro cruzeirense fechou bem o ângulo antes de Elias driblá-lo. O volante ficou sem condições de chutar a gol e não encontrou ninguém na área com condições de marcar.

No segundo tempo, o Corinthians voltou melhor. Para controlar as jogadas do meio-campo cruzeirense, Tite orientou uma maior aplicação dos atacantes na marcação da saída de bola do time mineiro. Deu certo. Ronaldo e Dentinho tinham mais gás para pressionar os volantes do Cruzeiro e com isso facilitaram o trabalho de Elias e Jucilei na chegada ao ataque, já que não tinham de se preocupar tanto assim em parar os avanços de Fabrício e Henrique. Montillo, que deixou o campo aos 27 do segundo tempo para a entrada de Roger, foi muito bem marcado por Ralf e não deu tanto trabalho como poderia.

Aos oito minutos, Bruno César recebeu bom passe de Elias pela direita e ajeitou para Ronaldo, livre na entrada área. O Fenômeno chutou de primeira, mas a bola saiu à direita do gol de Fábio. Esta jogada mostrou ao Cruzeiro que o Corinthians iria para cima. E o time mineiro até gostou da ideia. Passou a jogar como mais gosta, nos contra-ataques.

Como passou a esperar mais o Corinthians, o Cruzeiro passou a usar a ligação direta para chegar ao gol e por duas vezes chegou na cara de Júlio César. As duas com Wellington Paulista. E mostrando mesmo que está em ótima fase, o goleiro corintiano impediu que o Cruzeiro saísse na frente.

Aos 18 minutos, Jorge Henrique, ovacionado pela torcida, entrou na vaga de Bruno César e o jogo voltou a ficar equilibrado. Muito respeitosos, já que com qualquer erro o resultado poderia escapar, os dois times pouco criaram até o final do jogo, no momento do lance mais polêmico da partida e que originou o gol da vitória corintiana.

Aos 42 minutos, Ronaldo recebeu lançamento alto na área e levou uma trombada de Gil por trás. O lance foi duvidoso, mas o árbitro Sandro Meira Ricci marcou o pênalti e expulsou o zagueiro do Cruzeiro. Acuado pelos cruzeirenses, o árbitro manteve a decisão. Ronaldo cobrou e marcou o gol da vitória.

Na saída de jogo, o volante Fabrício, revoltado com a arbitragem, chutou a bola para longe. Cuca, que acabou expulso por reclamação, colocou Wallyson no lugar do volante, que saiu para os vestiários xingando o árbitro.

Não havia tempo para mais nada. O Cruzeiro deixou o campo reclamando de Meira Ricci. "Vergonha!", disse o goleiro Fábio. "É melhor entregarem logo a taça para o Fluminense ou para o Corinthians", disse o atacante Thiago Ribeiro.

Em meio à festa corintiana, apenas um motivo para lamentação. Bruno César e Dentinho receberam o terceiro cartão amarelo e estão fora da partida contra o Vitória, no próximo domingo, dia 21, em Salvador. O Corinthians entrou em campo com seis pendurados. William, Roberto Carlos, Elias e Jucilei continuam com dois amarelos.

FICHA TÉCNICA - CORINTHIANS 1 x 0 CRUZEIRO

Estádio: Pacaembu, São Paulo (SP)
Data:  13 de novembro de 2010
Horário: 19h30
Árbitro: Sandro Meira Ricci (DF)
Auxiliares: Roberto Braatz (PR/FIFA) e Alessandro Alvaro Rocha de Matos (BA/FIFA)
Cartões Amarelos: Bruno César, Dentinho (COR); Thiago Ribeiro, Gil, Gilberto, Fabrício (CRU)
Cartão vermelho: Gil (CRU)
Renda: R$ 1.279.352,50
Público: 35.935 pagantes

GOL: Ronaldo, aos 43 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Julio César; Alessandro, William, Chicão e Roberto Carlos; Ralf, Jucilei, Elias e Bruno César (Jorge Henrique); Dentinho (Danilo) e Ronaldo. Técnico: Tite

CRUZEIRO: Fábio; Jonathan, Léo, Gil e Gilberto; Fabrício (Wallyson), Marquinhos Paraná , Henrique e Montillo (Roger); Thiago Ribeiro e Wellington Paulista (Farías). Técnico: Cuca

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG