Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com pênalti polêmico, Chelsea bate Benfica e enfrenta o Barça na semifinal

Vitória por 2 a 1 no Stamford Bridge contou ainda com gol nos acréscimos após pressão do time português

Renato Santino, iG São Paulo |

AP
Lampard comemorou o primeiro gol do Chelsea na partida
O Chelsea confirmou seu domínio em casa nesta Liga dos Campeões e segue 100% jogando no Stamford Bridge. Em duelo realizado nesta quarta-feira contra o Benfica, os ingleses contaram com a ajuda da arbitragem, com um pênalti inexistente, para empatar em 1 a 1 com os portugueses. O resultado, somado à vitória por 1 a 0 em Portugal, garantiu a vaga para enfrentar o Barcelona na competição europeia.

Leia também: Com golaço de Kaká, Real espanta zebra do Chipre e vai à semifinal

Os portugueses sairam de campo insatisfeitos com a arbitragem do esloveno Damir Skomina. O pênalti marcado no primeiro tempo sobre Ashley Cole, também foi decisivo na expulsão de Maxi Pereira, já que o lateral recebeu o primeiro cartão amarelo por reclamação após a marcação do pênalti. Além disso, várias faltas a favor dos portugueses deixaram de ser anotadas.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

Com o resultado, o Chelsea vai às semifinais da Liga dos Campeões contra o Barcelona, que se classificou na última terça-feira após derrotar por 3 a 1 o Milan no Camp Nou. No outro jogo desta quarta-feira, o Real Madrid goleou por 5 a 2 o Apoel, sem dar chances à equipe do Chipre. Com isso, a outra semifinal será formada pelos merengues contra o Bayern de Munique, que eliminou o Olympique de Marselha na terça.

O jogo
Precisando da vitória fora de casa, o Benfica não se assustou com o Stamford Bridge lotado e logo colocou pressão sobre os ingleses, sem permitir ao Chelsea passar do meio-de-campo com a bola dominada nos primeiros cinco minutos de jogo. Entretanto, logo os londrinos se adaptaram à intensidade do clube português e passaram ter as melhores oportunidades. Aos 7 minutos, após escanteio, a bola sobrou para o zagueiro brasileiro David Luiz, que chutou em cima do defensor do Benfica.

Veja os próximos confrontos da Liga dos Campeões

Em seguida, Mata recebeu passe sozinho na grande área e empurrou a bola para o fundo das redes, mas viu o assistente levantar a bandeira assinalando corretamente o impedimento. Contudo, aos 20 minutos, não teve jeito: Ashley Cole recebeu lançamento longo na área e acabou recebendo um tranco de Javi García e o árbitro Damir Skomina anotou o pênalti polêmico, e ainda deu cartão para Maxi Pereira por reclamação. Frank Lampard abriu o placar após bater com perfeição no canto direito de Artur, que esteve perto de fazer a defesa, mas não conseguiu alcançar.

Precisando de dois gols para se classificar, o Benfica partiu para o desespero e começou a receber muitos cartões amarelos em sequência. Aos 30 minutos, os portugueses estiveram muito próximos do empate em jogada ensaiada iniciada em cobrança de falta de Bruno César, que levantou a bola na área. Após uma tabela de cabeça, Cardozo finalizou, sem chances para Cech, mas encontrou Terry em cima da linha para evitar o gol.

E como se a partida não estivesse complicada o bastante, o capitão Maxi Pereira cometeu uma falta dura em Mikel aos 39 do primeiro tempo, próximo ao círculo central e recebeu o segundo cartão amarelo. O Benfica agora precisaria correr atrás do resultado com um a menos no segundo tempo.

Getty Images
Ramires perdeu um gol feito em Londres
Na volta dos vestiários, o jogo começou movimentado. Logo aos 3 minutos Óscar Cardozo recebeu passe e chutou colocado no ângulo de Petr Cech, que precisou se esticar para alcançar a bola e colocá-la para escanteio. A resposta do Chelsea, contudo, não tardou. Aos 4, Kalou invadiu a área pela esquerda e cruzou rasteiro para o meio da área, onde Ramires, sozinho, sem goleiro, em cima da linha, perdeu um gol inacreditável.

Em seguida, o que se viu foi um duelo aberto. O Benfica, com um a menos, saia para o ataque com todas as suas forças e jogava muito melhor, pressionando os ingleses no campo de defesa, mas deixava espaço para o contra-ataque do time londrino. Em um destas saídas rápidas do Chelsea, Lampard encontrou Kalou livre para penetrar na área e ficar na cara do goleiro Artur, que salvou os portugueses de levar mais um. Em outra oportunidade, Mata entrou sozinho e chutou cruzado, mas a bola passou à esquerda das traves portuguesas.

Aos poucos, a superioridade numérica começou a pesar a favor do Chelsea, que passou a dominar as ações ofensivas, e começou a colocar o Benfica na roda, gastando o que restava do relógio. O Benfica ainda esteve perto de sair do zero em dois cabeceios de Djaló, enquanto o Chelsea viu a chance de ampliar nos pés de Kalou. Entretanto, só aos 40 do segundo tempo o placar voltou a se alterar. Javi Garcia, após cobrança de escanteio, subiu mais do que a zaga inglesa e empatou a partida.

Em seguida, o Chelsea se fechou, o Benfica pressionou, mas não conseguiu virar. Pelo contrário: acabaram sofrendo o gol. Nos acréscimos, após levantamento na área, os mandantes conseguiram recuperar a bola e sairam em um contra-ataque fulminante com Raul Meirelles, que não deu chances para Artur. Com isso, o Chelsea se classificou para a semifinal da competição, onde enfrentará o Barcelona.

Getty Images
Raul Meirelles, aos 47 do segundo tempo, acabou com as esperanças portuguesas

FICHA TÉCNICA - Chelsea 2 x 1 Benfica (agregado: 3 x 1)
Liga dos Campeões da Europa 2011/12 - Quartas de final
Local: Estádio Stamford Bridge, em Londres-ING
Data: 4 de abril de 2012, terça-feira
Horário: 15h45 (horário de Brasília)
Árbitro: Damir Skomina (Eslovênia)
Assistentes: Primož Arhar e Marko Stancin (ambos da Eslovênia)
C artões amarelos: Oscar Cardozo, Aimar, Bruno César e Maxi Pereira (BEN) Ivanovic, Ramires, Mikel (CHE)
Cartão vermelho: Maxi Pereira (BEN)

GOLS:
CHELSEA: Lampard, de pênalti, aos 20 minutos do primeiro tempo, e Raul Meirelles, aos 47 do segundo tempo
BENFICA: Javi Garcia, aos 39 do segundo tempo

CHELSEA:Petr Cech; Ivanovic, David Luiz, Terry (Gary Cahill) e Ashley Cole; Ramires, Lampard, Mikel e Mata (Raul Meirelles); Torres (Drogba) e Kalou. Técnico: Roberto Di Mateo

BENFICA: Artur; Maxi Pereira, Emerson, Javi Garcia e Capdevilla; Matic, Bruno César (Rodrigo), Witsel e Aimar; Óscar Cardozo (Nélson Oliveira) e Gaitán (Djaló). Técnico: Jorge Jesus

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG