Tamanho do texto

Técnico Reinaldo Rueda mantém o mistério acerca dos 11 atletas que começarão jogando

O Equador treinou com portões fechados nesta terça-feira, na cidade de Córdoba, tentando esconder as armas para o duelo diante da seleção brasileira, fundamental para as pretensões da equipe comandada pelo técnico Reinaldo Rueda de se classificar para as quartas de final da Copa América.

Os jogadores equatorianos trabalharam pela manhã no estádio do Instituto Atlético Central Córdoba, clube da segunda divisão argentina. Pela noite, estava previsto o reconhecimento do gramado do estádio Mario Alberto Kempes, palco do confronto, mas a atividade foi suspensa.

Rueda mantém o mistério acerca dos 11 atletas que começarão jogando contra o Brasil, num duelo em que o Equador terá a obrigação de vencer para não voltar para casa mais cedo. Certa é a ausência da grande estrela do time, o meia Luis Antonio Valencia, do Manchester United, que não conseguiu se recuperar de uma lesão no tornozelo esquerdo sofrida no empate sem gols com o Paraguai na estreia.

Os equatorianos ocupam atualmente a lanterna do grupo B, com apenas um ponto, e vem sendo especulada a saída do treinador caso a eliminação realmente aconteça. Inclusive, o presidente da Federação Equatoriana de Futebol, Luis Chiriboga, colocou lenha na fogueira ao afirmar que a atuação da equipe no torneio é um fracasso para o país e que é preciso fazer mudanças.