Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com novo elenco, Atlético-MG se sente em casa na Arena do Jacaré

Do atual grupo de jogadores, somente seis jogaram pelo menos uma partida completa no Mineirão pelo clube

Victor Martins, iG Belo Horizonte* |

Com muitas trocas de jogadores nos últimos meses , boa parte do elenco do Atlético-MG não teve a oportunidade de jogar no estádio com a camisa do clube. Alguns jogaram no Mineirão contra o próprio Atlético-MG ou contra o Cruzeiro . O zagueiro Leonardo Silva e o atacante Guilherme formam grupo especial. Os dois tiveram o Mineirão como casa, mas pelo time celeste, já que chegaram à Cidade do Galo depois do fechamento do estádio. Dos 37 jogadores do atual elenco, somente dez jogaram no Mineirão com a camisa do Atlético-MG. Sendo que quatro deles ( Giovanni Augusto , Wendel , Neto Berola e Ricardo Bueno ) foram por alguns minutos.

Da equipe que foi titular no último treino coletivo, neste domingo , apenas o lateral-esquerdo Leandro e o meia-atacante Mancini fizeram pelo menos uma partida completa pelo Atlético-MG no Mineirão. Além dos jogadores já citados, também jogaram em Belo Horizonte com a camisa atleticana os zagueiros Lima e Werley , o volante Serginho e o meia Renan Oliveira . Acostumado ao Mineirão, apesar do longo tempo na Europa, Mancini não esconde que ainda não se sente em casa quando vai atuar na Arena do Jacaré.

“Às vezes me sinto deslocado na Arena do Jacaré. É um estádio arrumado, organizado, mas não é o Mineirão. Pela torcida que nós temos, é um pecado o Mineirão estar fechado hoje, mas é por motivos nobres. O que muda são as dimensões menores, as arquibancadas muito próximas, parece um campo do interior, porque está tudo muito próximo, mas é a nossa realidade. O campo é muito bom e tem ótima estrutura, mas não se compara ao Mineirão. Temos de transformar a Arena no Mineirão, não adianta lamentar. Hoje, a Arena é o nosso estádio, a nossa casa. Então, não podemos lamentar”.

Futura
Jogadores do Atlético-MG comemoram o gol de Toró diante do Atlético-PR, na Arena do Jacaré
Situação bem diferente para o volante Toró . Contratado pelo Atlético-MG em dezembro do ano passado, ele chegou ao clube pós-Mineirão. Portanto, desde a sua primeira partida pelo clube alvinegro, tem a Arena do Jacaré como casa. Foi lá que ele marcou os dois gols que já vez fez com a camisa atleticana e afirma se sentir totalmente à vontade em Sete Lagoas. “Ali já estou acostumado. Cheguei agora, mas já estou acostumado. O grupo está acostumado a jogar na Arena, nos sentimos bem, nos sentimos em casa. Já conhecemos o campo, que é legal, o calor da torcida”

Embora não tenha jogado pelo Atlético-MG no Mineirão, Richarlyson lamenta a ausência do estádio. Apesar de garantir já estar adaptado com os jogos na Arena do Jacaré, o volante sente falta dos grandes públicos. “Pela capacidade de público do Mineirão, seria melhor jogar lá, pela torcida que o Atlético-MG tem. Tenho plena convicção que jogaríamos com o estádio cheio e a torcida no empurrando. Mas eu sinto bem na Arena do Jacaré”.

Certamente o peso de trocar o Mineirão pela Arena do Jacaré foi bem maior na equipe de 2010, que atuou em Belo Horizonte até junho. Desde que o estádio foi fechado, o Atlético-MG perdeu em Minas Gerais para os rivais Cruzeiro e América-MG e para Internacional , Palmeiras , São Paulo , Grêmio e Botafogo . No entanto, é impossível afirmar que as derrotas ocorreram em função do fechamento do Mineirão. No que depender das estatísticas, as derrotas para equipes de outro estados não foram algo anormal.

O Atlético-MG ainda não venceu o Palmeiras e o Internacional como mandante, desde que o Brasileiro passou a ser disputado por pontos corridos. Já contra o São Paulo foi apenas uma vitória em casa no mesmo período, em 2009. O que se aplica no duelo com o Botafogo, mas o triunfo foi em 2008. Já contra o Grêmio, o Atlético-MG tinha duas derrotas e uma vitória nas três últimas partidas no Mineirão.

Leia tudo sobre: Atlético-MG

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG