Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com multa de R$ 60 milhões, Santos desiste de Maikon Leite

No entanto, o presidente Luís Álvaro já adiantou que o Palmeiras só contará com o atleta em junho

Samir Carvalho, iG Santos |

O presidente do Santos, Luís Álvaro de Oliveira Ribeiro, declarou que o novo acordo assinado entre Maikon Leite e Palmeiras na semana passada acabou com as esperanças do clube em manter o jogador na Vila Belmiro. Isso porque a diretoria do Palmeiras reformulou o pré-contrato com Maikon Leite e aumentou a multa rescisória para R$ 138 milhões para o exterior e R$ 60 milhões para clubes brasileiros.

“Essa negociação concluída por ele dias atrás, significou mais dinheiro em seu bolso e sem dúvida nenhuma tornou sua continuação no Santos extremamente difícil”, afirmou Luís Álvaro à radio Cultura.

No entanto, o dirigente já adiantou que o Santos não liberará o jogador antes do término de seu contrato, que vence no dia 23 de junho deste ano. Luís Álvaro, inclusive, revelou que a diretoria do Palmeiras ofereceu alguns jogadores para tentar a liberação de Maikon Leite, mas os nomes apresentados foram vetados pelo técnico Adilson Batista.

“Eles oferecem algumas alternativas que não interessaram ao nosso treinador e eu disse não”, comentou o presidente santista, que ainda brincou com a situação. “É só eles mandarem o Kleber e o Marcos Assunção. Acho que o volante é uma referencia na história do clube, e o Kleber seria ótimo para Libertadores”, completou.

Apesar de perder o atleta para o Palmeiras, Luís Álvaro confirmou que o Santos adquiriu mais 10% dos direitos econômicos de Maikon Leite. “O atleta foi muito ético. Nós tínhamos 20% e quando não chegamos a um acordo, ele decidiu assinar o pré-contrato com o Palmeiras, mas os direitos do Santos se transformaram em 30%”, disse Luís Álvaro.


 

Leia tudo sobre: santosmaikon leitepalmeirasluis alvaro

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG