Técnico e atletas rejeitam vingança da Copa de 2010, mas jogo é importante para treinador manter credibilidade

O jogo é vendido como a “revanche da Copa do Mundo de 2010”. Só que o amistoso entre Brasil e Holanda neste sábado, 16h10 no estádio Serra Dourada, em Goiânia, é importante mesmo para o técnico Mano Menezes. Além de ser seu primeiro teste dentro de casa, ele tenta ganhar pela primeira vez de um rival bem ranqueado na Fifa.

Por enquanto o treinador teve sucessos contra EUA (22° no ranking), Irã (48°), Ucrânia (35°) e Escócia (66°). Perdeu de Argentina (5°) e França (19°). A Holanda, o segundo colocado e atual vice-campeão mundial, é o grande teste antes da Copa América de julho, na Argentina (terça, contra a Romênia, será mais a despedida de Ronaldo do que jogo preparatório). O Brasil é o terceiro no ranking da Fifa e Mano viajará para o país vizinho pressionado se não bater os holandeses.

Os jogadores brasileiros, mesmo aqueles que estiveram na derrota por 2 a 1 em 2 de julho de 2010, em Porto Elizabeth, nas quartas de final da Copa da África do Sul, descartaram clima de revanche. A Holanda? Apesar do discurso que jogo contra o Brasil não é amistoso, os holandeses estão em ritmo de férias.

Praticamente classificada no Grupo E para a fase final da Euro 2012, os atletas ganharão folga após os amistosos contra Brasil e Uruguai (nesta quarta-feira, em Montevidéu). Em vez de treinar em Goiânia, os holandeses escolheram como base o Rio de Janeiro, onde jogaram até futevôlei na praia.

“É amistoso, um amistoso especial, mas não deixa de ser um amistoso. Não tem revanche, não tem preocupação alguma. Estamos nos preparando para a Copa América, nossa primeira competição oficial”, disse Mano. Sem as eliminatórias (como país sede da Copa de 2014 o Brasil não participa), o técnico terá a Copa América e a Copa das Confederações, em 2013, para preparar o time “oficialmente”.

Rival complicado

Mano Menezes pode sair de Goiânia pressionado
Mowa Press
Mano Menezes pode sair de Goiânia pressionado
Em seu primeiro jogo no Brasil, Mano vai escalar uma equipe ofensiva: três atacantes, dos deles os jogadores mais carismáticos no atual elenco da seleção: Neymar e Robinho . Depois de fazer mistério se os dois jogadores disputavam posição, eles vão a campo ao lado de Fred, a surpresa na escalação já que nunca tinha sido convocado por Mano.

O esquema repete o da estreia do treinador, na vitória por 2 a 0 sobre os EUA e considerada pelo técnico a grande exibição de sua seleção. Sem Ganso, machucado, o armador será outro santista, Elano. Robinho atuará, segundo o técnico, como um meia-atacante. Apesar do esquema, há respeito para a Holanda, apesar dos desfalques de Sneijder, Stekelenburg, Van Bommel e Van der Vaart.

“A Holanda é um grande time, mas não tem nada de pensamento de vingança. Estamos nos preparando para a Copa América, que é o objetivo”, disse o capitão e zagueiro Lúcio, que completa 100 jogos pelo Brasil e ganhou até uma camisa comemorativa da CBF (Confederação Brasileira de Futebol).

FICHA TÉCNICA

BRASIL X HOLANDA

Data: 4 de junho de 2011 (sábado)
Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Hora: 16h10min (de Brasília)
Árbitro: Carlos Amarilla (Paraguai)
Assistentes: Rodney Aquino e Cesar Franco (ambos do Paraguai)

Brasil: Júlio César; Daniel Alves, Lúcio, Thiago Silva e André Santos; Ramires, Lucas Leiva e Elano; Robinho, Fred e Neymar. Técnico: Mano Menezes

Holanda: Krul; Van der Wiel, Bruma, Mathijsen e Pieters; De Jong, Strootman e Afellay; Robben, Kuyt e Van Persie. Técnico: Bert van Marwijk

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.