Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com elenco curto, Botafogo improvisa atletas, mas perde qualidade

Equipe tem os piores índices de cruzamentos, passes e finalizações entre os quatro grandes do Rio

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

A necessidade de reforços no Botafogo já foi admitida por dirigentes e pelo técnico Caio Júnior. Com apenas dois meias no elenco, além de suspensões e lesões, muitos jogadores da equipe carioca tem sido escalados em funções diferentes da original nas últimas partidas. Mas os números mostram que a medida, apesar de emergencial, tem feito com que a equipe perca qualidade em comparação aos jogos em que os titulares naturais da posição são escalados.

Segundo o Footstats, o volante Somália, que atuou improvisado na lateral-esquerda em várias partidas, tem média de 0,7 cruzamentos certos, contra 0,9 do titular da posição, Márcio Azevedo. No meio-campo o problema também se repete. Com poucos meias, o volante Bruno Tiago foi adiantado, atuando de maneira mais ofensiva. Porém, não foi responsável por nenhuma assistência ou gol, contra quatro assistências e quatro gols do meia Renato Cajá, vendido para o Guangzhou Evergrande, da China.

Entre os quatro clubes grandes do Rio, o Botafogo possui o pior índice de passes corretos, a menor posse de bola e é quem menos finaliza corretamente. Para o técnico Caio Júnior, a principal dificuldade nas primeiras semanas de trabalho tem sido melhorar a qualidade da posse de bola da equipe.

"A posse de bola é nossa maior dificuldade neste início. Não é fácil ter, porque são vários fatores que determinam. Isso é um pouco o trabalho do treinador, um pouco a capacidade individual do jogador, um pouco a repetição. Meu objetivo é fazer a equipe ter personalidade, ter paciência quando tem que ter paciência e acelerar quando for preciso", disse o treinador do Botafogo.

Para o clássico contra o Flamengo, no próximo domingo, no estádio Engenhão, o Botafogo não terá Márcio Azevedo, suspenso. Assim, o volante Somália pode novamente ser escalado pelo lado esquerdo, caso vença a concorrência com o jovem Guilherme, das categorias de base. Apesar das seguidas improvisações, o jogador não acredita que possa ser prejudicado por atuar fora da posição.

"Acho que essa característica de ser polivalente agrada os treinadores. Me valoriza. Não acredito que me atrapalhe para ser titular, até porque cada jogo é uma história. No último jogo eu não estava bem no meio e o professor Caio Júnior tinha a opção de me tirar, mas me colocou na lateral-direita e eu fui bem. Depende da partida", declarou Somália.                          

Leia tudo sobre: botafogocampeonato carioca 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG