Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Com dois goleiros na linha, Inter faz treino melancólico antes da disputa do terceiro lugar

Guiñazu, machucado, está fora da partida contra o Seongnam. Com 19 atletas de linha disponíveis, Lauro foi o centroavante e Abbondanzieri o lateral-esquerdo entre os reservas

Marcel Rizzo e Paulo Passos, iG São Paulo |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882812183&_c_=MiGComponente_C

Celso Roth fará uma mudança no time para a disputa do terceiro lugar do Mundial de clubes, sábado, contra o Seongnam Chunma, da Coreia do Sul (12h de Brasília). E uma alteração forçada: o volante Guiñazu está com lesão muscular na coxa direita e não vai jogar. Derlei será o substituto. Os jogadores trabalharam na noite desta quinta-feira em Abu Dhabi (tarde no Brasil), no CT Sultan Bin Zayed, e o único que demonstrava motivação era o treinador, que gritava com seus atletas como se fosse disputar a decisão.

O treino teve ares de fim de festa. Como Guiñazu ficou no hotel e a delegação do Inter tem 22 jogadores porque o zagueiro Rodrigo não pôde ser inscrito e nem substituído (e pelo regulamento da Fifa três da lista são goleiros), dois arqueiros tiveram que treinar na linha no coletivo. Isso mesmo. Pato Abbondanzieri na lateral esquerda e Lauro de centroavante trabalharam entre os dez de linha contra os titulares. Não havia goleiro na equipe reserva e Roth trabalhou saída de bola da defesa para o ataque.

Nos primeiros treinamentos nos Emirados Árabes, o Inter pediu ao técnico Abel Braga, do Al Jazira, que emprestasse um jogador local. Foram dois, o lateral-esquerdo Sultan e o zagueiro Khaled. Já fora da decisão, a equipe brasileira dispensou os árabes e teve os goleiros atuando na linha. Curiosamente, o coletivo desta quinta pode ter sido o último de Abbondanzieri, que prometeu encerrar a carreira no fim deste ano. E ele a finalizou na lateral esquerda....

Exigente
O técnico provavelmente não será mantido no cargo. A diretoria do Inter procura um novo comandante, o favorito é Dorival Júnior, do Atlético-MG, mas mesmo assim Roth quis mostrar trabalho no coletivo. Parou o tático o tempo todo, orientando os jogadores, principalmente os laterais. O objetivo era sair da defesa ao ataque com velocidade. Não havia conclusão a gol no início, óbvio, porque não havia goleiro na equipe reserva. Depois o preparador de goleiros Clemer, campeão mundial em 2006 e que encerrou a carreira em 2009, foi para o gol.

A lesão de Guiñazu foi considerada estranha por alguns dirigentes do Inter. A desconfiança é que o atleta já sentia dores antes da partida contra o Mazembe, da República Democrática do Congo, e que escondeu para não ficar fora da partida. Durante o jogo sua atuação foi contestada, já que não deu os carrinhos que costuma. Após a partida teve que entrar no ônibus apoiado em companheiros de tanta dor que sentia na perna.

Nesta sexta-feira à tarde em Abu Dhabi (manhã no Brasil) o Inter faz o reconhecimento do estádio Zayed Sports City, campo da disputa do terceiro lugar e que o clube ainda não conhece. O time deve entrar em campo com Renan; Nei, Bolívar, Índio e Kléber; Derlei, Wilson Mathias, Tinga e DAlessandro; Rafael Sóbis e Alecsandro. Os reservas foram Clemer (preparador de goleiros), Daniel, Ronaldo Alves, Juan e Abbondanzieri (goleiro); Andrezinho, Sasha, Oscar e Giuliano; Leandro Damião e Lauro (goleiro).

Leia tudo sobre: internacionalmundial de clubes

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG