Tamanho do texto

Renato Gaúcho escala apenas um volante em jogo contra Oriente Petrolero

Lucas Uebel, Divulgação
Carlos Alberto treinou nesta quinta no Olímpico
Além de confirmar a escalação, fato raro nas últimas entrevistas, Renato Gaúcho justificou a opção por Carlos Alberto na vaga de Adilson: o Grêmio precisa recuperar a força ofensiva. Desta forma, a equipe terá apenas Fábio Rochemback como volante contra o Oriente Petrolero quinta-feira, no Olímpico, pela Libertadores.

Foi a maneira encontrada pelo treinador para aproveitar o reforço e tentar suprir a lacuna deixada por Jonas. No último domingo, por exemplo, o ataque, com André Lima e Borges, passou em branco pela primeira vez após 12 jogos – a última vez havia sido com o Santos em 13 de novembro de 2010. Algo que só aconteceu em cinco dos 36 jogos desde e chegada de Renato.

O técnico, aliás, garantiu que a forma de atuar permanecerá a mesma:

"Carlos Alberto fará pela direita o que Lúcio faz na esquerda: marcar e atacar. Tínhamos a dificuldade de que Adilson e Vilson só marcavam".

nullRenato admitiu que a equipe perderá poder defensivo. Por isto, no treino desta terça-feira deu atenção especial a Carlos Alberto e Lúcio, homens que deverão ajudar o capitão Rochemback a anular as forças do rival.

"Os atletas da frente sabem que precisam acompanhar e cercar os rivias. Agora, o jogo é em casa e por isso atacaremos para começarmos com vitória", alegou o técnico.

A escolha por Carlos Alberto levou em conta o fato de o jogador conhecer o esquema tático gremista. Por estar fora do Brasil, Escudero, outro reforço, ainda não compreendeu perfeitamente a mecânica de jogo. Foi o que disse Renato:

"Não adianta colocá-lo agora para ser criticado. Ainda está entendendo o trabalho e adquirindo forma física".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.