Tamanho do texto

Meia ganhou confiança de Tite, mas números fracos podem tirá-lo do time para a volta de Bruno César

AE
Morais ganhou espaço no Corinthians no início do ano, mas não vem agradando ao técnico Tite
Foram necessárias três rodadas sem vitória no Paulistão para que Tite percebesse que o camisa 10 escolhido por ele para conduzir as jogadas do meio-campo do Corinthians não está conseguindo cumprir as expectativas que o cercavam no início da temporada.

Morais , que desbancou Bruno César do time titular na metade de fevereiro, deve voltar ao banco no domingo, contra o Santo André. E os tímidos números de Morais nas partidas que atuou ajudam Tite a dar nova oportunidade a Bruno César.

De acordo com números do FootStats, Morais jogou 16 dos 18 jogos da equipe no Paulistão, mas tem o pior rendimento nas finalizações comparadas com os outros meias da equipe. Ele tentou 23 chutes a gol, dos quais apenas três foram na direção certa.

Bruno César jogou menos que Morais (13 partidas), mas tentou 29 chutes a gol, seis a mais que o concorrente. Acertou 12 no alvo e marcou um gol. Morais ainda foi às redes no ano.

“Não posso ignorar o bom desempenho do Bruno e às vezes não adianta só olhar número da camiseta. Estou ciente dos números do Morais e ele também. Por isso vamos trabalhar para melhorar esses números. Ainda não adianto a equipe de domingo, mas o Bruno joga”, disse Tite.

Na comparação entre os números dos dois meias corintianos, a única vantagem de Morais está no número de assistências. Foram cinco contra quatro de Bruno César. Mas vale lembrar que Morais jogou três jogos a mais que o concorrente.

Bruno César, destaque na campanha do Brasileiro de 2010, começou este ano com o mesmo status. Foram quatro jogos seguidos como titular, até o duelo de ida com o Tolima, pela pré-Libertadores. Muito mal, não foi sequer aproveitado no vexame da volta. Depois do jogo em Ibagué, se machucou, e só voltou a ser titular por conta de lesões ou suspensões de companheiros. Foi assim em três partidas: contra Linense, Ponte Preta e Americana, quando jogou no lugar de Jorge Henrique ao lado de Morais.

Antes de Morais virar titular, na partida contra o Santos, dia 20 de fevereiro, Tite havia tentado formar um meio campo criativo com Danilo e Ramírez. Ambos não convenceram. A entrada de Morais e a sequência de seis vitórias em sete jogos animaram o treinador que não cogitou sacar o atleta do time titular. Tudo mudou após más atuações de Morais nas derrotas para São Paulo e São Caetano e no empate contra o Botafogo-SP.

Bruno César, vendido ao Benfica e com compromisso de se apresentar ao clube português após o Paulistão, ganha força e para Tite não há motivos para desconfiar do rendimento do jogador. “O Bruno está sendo sério. Sabe dos riscos que está correndo e está trabalhando sério, botando a perna, a atitude dele gerou esse grau de confiança”, disse Tite.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.