Hernan Dario Gomez foi flagrado agredindo uma mulher em frente a um bar, no último sábado

selo

A Federação Colombiana de Futebol rejeitou o pedido de demissão do técnico Hernan Dario Gomez, que decidiu deixar o cargo na terça-feira depois de ser flagrado agredindo uma mulher em frente a um bar, no último sábado.

A decisão da Federação recebeu o apoio dos jogadores da seleção nesta sexta. "Estamos pedindo a todos, membros da federação, imprensa, torcedores e patrocinadores e o público em geral para apoiar a continuidade deste projeto", pediram os jogadores, em nota. Eles, porém, ressaltaram a reprovação do episódio envolvendo o treinador. "Condenamos a violência contra as mulheres".

Jogadores e dirigentes da Federação alegam que é fundamental a permanência do técnico por conta da proximidade das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2014. A competição terá início em outubro. Segundo a imprensa local, Dario Gomez será oficialmente reintegrado ao cargo ao fim do Mundial sub 20, disputado na Colômbia até o dia 20.

A permanência do técnico gerou mais críticas de grupos feministas colombianos. A senadora Dilian Francisca Toro declarou que a decisão de rejeitar a demissão de Dario Gomez "mancha o esporte". "Parece que os atletas e a Federação estão ignorando o grave problema da violência contra a mulher", afirmou.

O episódio de violência aconteceu no último sábado em frente a um bar no centro de Bogotá. O treinador teria se irritado com uma torcedora que o criticava por conta de seu fraco desempenho à frente da seleção. O caso causou grande repercussão, gerando críticas da imprensa, de setores feministas e também de um importante patrocinador da seleção, que se manifestou publicamente contra a permanência de Dario Gomez.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.