Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Clube dos 13 cria comissão para levantar a dívida dos associados

Fábio Koff permanece na presidência pelo menos até março de 2012. Composição política deve evitar fim do C13

Marcel Rizzo e Paulo Passos, iG São Paulo |

A diretoria do Clube dos 13 criou nesta terça-feira uma comissão com quatro clubes que vai analisar a dívida e crédito que cada associado possui para definir o futuro da entidade. O presidente Fábio Koff disse na sede do C13, em São Paulo, não ter apego ao cargo, o que foi interpretado por alguns participantes da reunião como renúncia, mas ele não pode deixar a função no momento porque é o avalista dos clubes em empréstimos bancários, que vencem até março de 2012. Até lá Koff continuará no comando do Clube dos 13.

“Não entreguei o cargo, apenas disse não ter apego. Estamos tentando criar uma solução para que todos os clubes paguem o que devem”, disse Koff. Em entrevista ao iG, em março, ele havia afirmado que ficaria no máximo até março, quando os avais bancários vencem.

Fazem parte da comissão que levantará, em até 30 dias, os números dos associados o Corinthians ( como convidado, já que protocolou sua saída do C13 há quase dois meses ), o Vasco, o Atlético-MG e o Vitória. A maioria dos 20 associados colocou como garantia para empréstimos bancários, avalizados por Koff e pelo vice-presidente e dirigente do Internacional, Fernando Carvalho, o contrato de televisão que seria fechado pela entidade para 2012. O problema é que esses mesmos clubes renegaram o acordo do C13 com a Rede TV! e fecharam contratos individuais com a Rede Globo.

“O Flamengo vai pegar o adiantamento do contrato com a Globo e pagar o que deve aos bancos com o aval dado pelo Clube dos 13. Dessa maneira estaremos tranqüilos para que nosso contrato com a Globo esteja válido em 2012”, disse Patrícia Amorim, presidente do Flamengo, que assumiu a primeira vice-presidência com a renúncia do São Paulo, nesta segunda-feira.

Política
Juvenal Juvêncio, presidente do clube paulista, não compareceu à reunião (apesar de ser um dos principais aliados de Koff até pouco tempo atrás) e enviou seu diretor financeiro, Osvaldo Vieira de Abreu. O rompimento do São Paulo com o C13 aconteceu depois que Koff jantou com o presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, que pediu a “cabeça” do diretor de marketing do C13, e dirigente são-paulino, Ataíde Gil Guerreiro. Este, por enquanto, se mantém no cargo.

“A questão política do Clube dos 13 será discutida em outra ocasião. Primeiro vamos ver a situação financeira”, disse Andrés Sanchez, que apesar de participar como convidado foi um dos principais oradores na reunião.

Além dos avais bancários, os clubes estão preocupados com execuções judiciais que chegam ao Clube dos 13. A Receita Federal, por exemplo, tem procurado a entidade para cobrar dívidas fiscais. Já chegaram notificações contra Goiás e Atlético-PR.

“Hoje o Clube dos 13 dá a cara para bater e defende os clubes. Fechando diretamente com a Globo, será que ela (Globo) vai brigar pelos clubes?”, perguntou o presidente do Atlético-MG, Alexandre Kalil, crítico da negociação em separado dos direitos de transmissão.

Leia tudo sobre: clube dos 13CorinthiansFlamengoAtlético-MGSão Paulo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG