Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Clássico dos Milhões está de novo em cena na decisão da Taça Rio

Vitória dá título estadual antecipado e invicto ao Flamengo. Vasco precisa vencer e forçar mais dois jogos

Hilton Mattos, iG Rio de Janeiro |

Foram sete anos de espera, mas finalmente Flamengo e Vasco voltam a decidir o título carioca. Os dois times de maior torcida do Rio se enfrentam neste domingo, às 16h, no Engenhão, na final da Taça Rio. Vitória rubro-negra representa o último ato da competição, uma vez que o time de Vanderlei Luxemburgo conquistou a Taça Guanabara. Além de campeão antecipado, será também invicto, como em 1996. Para impedir o 32º estadual do rival, os cruzmaltinos precisam vencer e forçar mais dois jogos. Caso isso aconteça, o Rio vai reviver os confrontos românticos de 1981.

Nas últimas quatro temporadas, as finais foram protagonizadas por Flamengo e Botafogo. O time de São Januário, sempre com elencos aquém da sua tradição, brigava, no máximo, por um turno. Aliás, desde 2004 o Vasco não sabe o que é ser campeão na Série A – venceu a Taça Rio em cima do Fluminense. Mas, este ano, com bons investimentos, montou uma equipe compatível com a sua centenária história. Parte do sucesso vascaíno em 2011 deve-se ao técnico Ricardo Gomes, que mudou o ambiente no clube e a forma de a equipe jogar a partir de fevereiro, quando assumiu no lugar de PC Gusmão.

AE
Thiago Neves marcou quatro gols e em cinco clássicos
No Flamengo, estar em mais uma final tem virado rotina. Dos últimos 15 estaduais, o clube faturou oito (96/99/00/01/04/07/08/09): ou seja, mais da metade. Sem falar na Mercosul de 1999, na Copa dos Campeões de 2001, na Copa do Brasil de 2006 e no Brasileiro de 2009. Superou o Fluminense como o maior detentor de títulos estadual no Rio – 31 a 30 – e tem sido o time com mais destaque em finais no futebol carioca. Para ver o desfecho desta história, o Engenhão receberá um público de 36 mil pessoas. Um palco acanhado para um jogo apelidado de 'Clássicos dos Milhões'. Com o Maracanã em obras para a Copa de 2014, não restou outra alternativa.

O Vasco não terá novidades. Ricardo Gomes vai manter o volante Allan improvisado na lateral direita, já que o titular Fágner, após um mês parado por conta de uma torção no joelho, carece de ritmo de jogo. Outro que também vem de lesão é Eduardo Costa. Da mesma forma, ele deve começar no banco de reservas, com Fellipe Bastos mantido. O time está eufórico. O clima entre os jogadores é de confiança. Ao longo da Taça Rio, foram poucos problemas de lesão – nenhuma grave -, não há crise de relacionamento como no período de Carlos Alberto e PC Gusmão e a classificação às quartas de final na Copa do Brasil, quarta-feira, ajudaram a contagiar o ambiente.

No Flamengo, a história é parecida, mas entre o título do primeiro turno e a vitória sobre o Fluminense nos pênaltis, na semifinal, a equipe alternou bons e maus momentos. Recuperou-se a tempo, mas houve muita contestação e até vaias para o craque Ronaldinho Gáucho. O camisa 10, aliás, se recuperou de um edema no joelho esquerdo, que o deixou de fora das duas últimas partidas do Flamengo, e treinou normalmente neste sábado. Apesar de não ter garantido presença, o meia declarou que está bem fisicamente e deixou a 'responsabilidade' nas mãos do técnico Vanderlei Luxemburgo, que traz no currículo o feito de nunca ter perdido para o Vasco como técnico.

Empolgado com a possibilidade de participar de um clássico tão decisivo, Ronaldinho Gaúcho fez questão de afastar qualquer favoritismo de qualquer um dos lados, mas lembrou que o Flamengo pode definir o campeonato em 90 minutos e por isso, irá atacar o Vasco desde o começo.

"Cada clássico regional tem sua história, mas Flamengo e Vasco tem uma história muito grande. Eu cresci escutando sobre muitos desses jogos e vou ter a possibilidade de viver uma partida dessas agora. Sempre quando chega um clássico, mesmo que uma equipe esteja muito mal e outra muito bem, qualquer um pode vencer. Não vejo nenhum time como favorito. Temos a oportunidade de acabar com tudo amanhã e vamos entrar para vencer", disse Ronaldinho Gaúcho.

A nota triste é a ausência de Léo Moura. O lateral ainda não está livre das dores no joelho direito. Ele se machucou no Fla-Flu de domingo, não enfrentou o Horizonte, pela Copa do Brasil, e dará lugar ao jovem Galhardo. Luxemburgo só não lamenta muito porque tem em Thiago Neves a esperança de gols e boas atuações. O camisa 7 da Gávea tem se transformado numa espécie de matados dos clássicos. Em cinco partidas contra os rivais, balançou a rede quatro vezes.

AE
Ricardo Gomes mudou o ambiente no Vasco desde que assumiu o time, em fevereiro
No Vasco, a palavra de ordem é ignorar a hegemonia do Flamengo sobre o time de São Januário nas últimas décadas. A última vez que o cruzmaltino sagrou-se campeão em cima do rival rubro-negro foi em 1988, gol de Cocada. Desde então, o Vasco perdeu todas as finais. Mas os jogadores garante que é hora de acabar com a escrita. Não há no elenco remanescente do grupo que integrou a geração do “vice”.

“Sabemos que o Flamengo tem a vantagem, mas vamos com a certeza que só a vitória nos levará a mais dois jogos com eles. Nossa meta não é só a Taça Rio, e sim o estadual. Para isso, temos que pensar em acabar com o tabu. Tabu existe para ser quebrado”, destacou Ricardo Gomes. “Números existem para estatísticas. Aqui no Vasco ninguém quer saber de passado. Nosso grupo é de qualidade e atravessamos uma fase excepcional. Temos condições de brigar com qualquer equipe”, completou o goleiro Fernando Prass.

FICHA TÉCNICA – FLAMENGO x VASCO

Local
: Estádio Olímpico João Havelange (Engenhão), Rio de Janeiro
Data: 1º maio de 2011, domingo
Horário: 16h (Horário de Brasília)
Árbitro: Luiz Antônio Silva Santos
Auxiliares: Ediney Guerreiro Mascarenhas e Marco Aurélio dos Santos Pessanha

FLAMENGO: Felipe; Galhardo, Welinton, David e Rodrigo Alvim; Willians, Renato, Thiago Neves e Bottinelli; Ronaldinho e Wanderley
Técnico: Vanderlei Luxemburgo

VASCO: Fernando Prass; Allan, Dedé, Anderson Martins e Ramon; Fellipe Bastos, Rômulo, Felipe e Diego Souza; Alecsandro e Eder Luis
Técnico: Ricardo Gomes

Leia tudo sobre: vascoflamengocampeonato carioca 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG