Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

City faz reclamação na Uefa por ofensas racistas da torcida do Porto

Torcedores teriam imitado macacos para irritar Yaya Touré e Mario Balotelli na partida de quinta, pela Liga Europa

Gazeta |

O Manchester City fez reclamações à Uefa por conta de ofensas racistas que a torcida do Porto teria desferido aos seus jogadores Yaya Toure e Mario Balotelli, durante a partida entre os dois times, válida pela segunda fase da Liga Europa, nesta quinta-feira, em Portugal.

Leia também: Manchester City vira para cima do Porto no estádio do Dragão

De acordo com o clube inglês, torcedores imitaram barulhos de macaco aos jogadores do City, durante a vitória dos visitantes, por 2 a 1. Após o encontro, em entrevista para a Sky Sports News, Yaya Toure tentou explicar a situação ocorrida em Portugal.

"É por isso que todos nós gostamos do Campeonato Inglês, porque isto nunca acontece lá. Talvez em outros países eles não aceitam jogadores negros. Acho que no futuro será tudo bem, mas eles têm que mudar suas cabeças", afirmou o atleta.

AP
Balotelli, juntamente com Yaya Touré, teriam sido vítimas de racismo, diz o City

Apesar de sua afirmação, a Premier League recentemente vivenciou dois problemas deste tipo: Luis Suárez, do Liverpool, foi punido com oito jogos de suspensão, após ser acusado de agredir verbalmente o lateral Patrice Evra, do United, em outubro do ano passado. No último final de semana, os dois voltaram a se enfrentar, em jogo marcado pelo fato de o uruguaio, que clama inocência, não ter cumprimentado o francês.

Deixe o seu recado e comente a notícia com outros torcedores

John Terry, zagueiro do Chelsea e da seleção inglesa, também, deverá ser julgado por este problema. A acusação sobre o atleta do time londrino se dá por conta da partida com o Queens Park Rangers, em que Terry teria desferido palavras racistas ao também defensor Anton Ferdinand, irmão de Rio Ferdinand, do United.

O julgamento, porém, deverá acontecer apenas depois da Eurocopa, em julho. Enquanto a sentença não é definida, Terry perdeu o posto de capitão da seleção inglesa pela segunda vez - em 2010 ele também fora retirado do cargo, após ter sido revelado seu caso com a então esposa de Wayne Bridge, outro jogador da seleção -, fato que ajudou na saída do técnico Fabio Capello, já que o italiano não concordou com a decisão da federação de futebol do país.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG