Tamanho do texto

Adversários históricos fora do campo, países vem realizando boa campanha na Copa América

Em uma chave na qual o Uruguai era cotado como favorito, Chile e Peru surpreenderam e só dependem de si ao se enfrentarem às 19h15 (horário de Brasília) desta terça-feira, em Mendoza, para chegarem às quartas de final como líderes - o Uruguai pega o México na partida seguinte, às 21h45 . A primeira colocação do grupo C da Copa América, porém, não atrai as equipes, que pouparão seus titulares.

Ambas estão com quatro pontos e, mesmo se uma das duas perder nesta terça-feira, já está matematicamente classificado. Por isso, a intenção de seus treinadores é dar descanso a alguns de seus principais jogadores para continuar surpreendendo na próxima fase com sua base em melhores condições físicas.

A opção por reservas, entretanto, não diminui a rivalidade histórica entre os dois países. O Peru se juntou à Bolívia em uma disputa por terra no final do século XIX contra os chilenos, em confronto conhecido como Guerra do Pacífico. Existe até um cuidado do técnico Claudio Borghi, argentino, à frente do Chile, e o treinador Sérgio Markarián, uruguaio, chefe do Peru, para que os ânimos sejam contidos.

"Não será a Guerra do Pacífico. Espero que não seja mais do que uma partida de futebol com o bom futebol que estas duas seleções têm mostrado", comentou Borghi, que até elogia o adversário. "O Peru vem fazendo um grande trabalho com um técnico que todos conhecemos como o Sergio Markarián", enalteceu o comandante do Chile.

Os peruanos, realmente, surpreendem. Donos da pior campanha das últimas eliminatórias, para a Copa do Mundo de 2010, a equipe crescer sob o comando de Markarián, empataram com o Uruguai por 1 a 1 na estreia e aproveitaram-se do desfalcado México para vencer por 1 a 0 e se garantir na próxima fase.

Técnico Sergio Markarián reergueu a seleção peruana e vem comandando boa campanha na Copa América
EFE
Técnico Sergio Markarián reergueu a seleção peruana e vem comandando boa campanha na Copa América
Para a última partida da primeira fase, entretanto, o treinador já confirmou que fará mudanças, sacando quem sente algum desgaste físico ou já recebeu amarelo, podendo ficar suspenso para as quartas de final - na Copa América, bastam dois cartões ou o vermelho para ser obrigado a cumprir gancho na próxima partida.

Mesmo sem força máxima, a promessa do comandante do Peru é um time ousado e corajoso. "O Chile vai começar a partida igual a nós e vão sair com tudo. E não vamos ficar nos segurando. É um clássico", contou o arqueiro Libman.

Claudio Borghi tem a mesma postura, mesmo projetando "três ou quatro mudanças". Valdivia , que entrou bem no empate com o Uruguai no último jogo, é um dos que devem ser poupados. O treinador se apoia na lesão de Matias Fernández , que só teve condições de entrar na estreia, na vitória sobre o México. "Temos que ganhar, não podemos escolher adversários, mas cuidando de alguns jogadores porque não temos tantas variedades para fazer alterações", disse.

FICHA TÉCNICA - CHILE X PERU

Local: Estádio Malvinas Argentinas, em Mendoza (Argentina)
Data: 12 de julho de 2011, terça-feira
Horário: 19h15 (horário de Brasília)
Árbitro: Salvio Fagundes Filho (BRA)
Assistentes: Márcio Santiago (BRA) e Humberto Clavijo (COL)

CHILE: Bravo; Medel, Ponce e Jara; Fierro, Carlos Carmona, Estrada, Beausejour e Luis Jiménez; Esteban Paredes e Suazo Técnico: Claudio Borghi

PERU: Libman; Giancarlo Carmona, Christian Ramos e Revoredo; Antonio González, Ballón, Yotún, Corzo e Guevara; Chiroque e Ruidíaz Técnico: Sergio Markarián

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.