Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Chamado de gay, jogador saudita se recusa a cumprimentar rival

Caso lembrou a briga entre os ingleses John Terry e Wayne Bridge, que não apertam mãos antes dos jogos

Francisco De Laurentiis, iG São Paulo |

nullA moda de ignorar o aperto de mão de um rival chegou à Arábia Saudita. Após sofrer com insinuações sobre sua orientação sexual, o capitão do Al Nasr, Hussein Sulaimani, não cumprimentou o romeno Mireal Radoi, do Al Hilal, antes de partida entre as equipes pelo Campeonato Saudita, no último domingo (confira no vídeo ao lado). Em março de 2011, o europeu afirmou que Sulaimani era homossexual.

"Ele me segue durante as partidas, me toca como se fosse uma mulher, não sei o porquê. Talvez ele não goste de mulheres, mas de homens", afirmou Radoi após jogo entre as equipes no dia 11 de março (2 a 0 para o Al Hilal), válido pela Copa do Príncipe. O romeno, que tinha marcado um gol no confronto, foi multado pela federação do país em 3,5 mil libras (cerca de R$ 9 mil) por "ofensas contra o povo Árabe."

Durante a partida do último domingo, que terminou em 1 a 0 para o Al Hilal, a tensão entre os jogadores era evidente. Ao final do primeiro tempo, Hussein Sulaimani (que é zagueiro) atirou uma bola de maneira proposital na cara do meio-campista Mirel Radoi. O saudita, no entanto, não foi punido pela arbitragem, e terminou a partida sem nem mesmo um cartão amarelo.

O Al Hilal, de Sulaimani, é líder absoluto da Pro League, como é chamado o Campeonato Saudita, com 55 pontos em 23 jogos, e é franco favorito ao título - vem de uma série de 10 jogos invictos, com seis vitórias consecutivas nas últimas partidas. Já o Al Nasr, de Radoi, ocupa a terceira colocação, com 40 pontos.

Relembre o caso Terry-Bridge e os apertos de mão ignorados
nullA história de ignorar o cumprimento de um rival começou quando o zagueiro John Terry, do Chelsea, foi acusado publicamente ter roubado a namorada do lateral Wayne Bridge (atualmente no West Ham), a modelo francesa Vanessa Perroncel (confira no vídeo ao lado a tensão entre os rivais). Terry nega que tenha traído o colega de seleção inglesa.

No primeiro encontro entre os atletas depois que o caso veio à tona nos tabloides ingleses, a mão de Terry foi completamente ignorada por Bridge, que à época estava atuando pelo Manchester City. No último final de semana, o lateral esquerdo voltou a passar reto pelo veterano zagueiro durante os cumprimentos entre os jogadores de Chelsea e West Ham.

Nas ocasiões, Bridge levou a melhor em uma e a pior na outra. No primeiro encontro, ganhou com o Manchester City por 4 a 2. Já na última partida, a derrota foi dolorosa: 3 a 0 para o time do rival John Terry.

Getty Images
Bridge (centro) e Terry também não apertaram mãos antes do jogo entre Chelsea e West Ham, sábado

Leia tudo sobre: Futebol MundialArábia SauditaInglaterraChelseaTerry

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG