Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

CBF oficializa saída de Ricardo Teixeira e se cala sobre COL

Em nota no site da entidade, cartola diz que José Maria Marin irá lhe substituir “interinamente” no cargo

iG São Paulo |

Quase um dia após a informação da saída de Ricardo Teixeira da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) ser confirmada por presidentes de federações filiadas , o site da entidade divulgou a licença do cartola. Em uma nota de apenas uma frase, o dirigente afirma que José Maria Marin assumirá o cargo interinamente.

VEJA TAMBÉM: Ex-governador, Marin volta aos holofotes após duas décadas

“A partir desta data está designado o vice-presidente José Maria Marin para substituir-me interinamente no exercício da presidência da CBF”, diz o texto assinado por Ricardo Teixeira. Na nota, ele não diz por quanto tempo estará afastado e nem sobre o seu futuro no COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo), entidade que também preside.

Getty Images
Ricardo Teixeira não informou até quando ficará fora da CBF
Há 23 anos à frente da CBF, Teixeira tem mandato até 2015. Em fevereiro surgiram boatos de que o cartola, envolvido em denúncias de corrupção e com pouco trânsito no Governo Federal e na Fifa, poderia abandonar o cargo.

Na berlinda

Envolvido, segundo a BBC, em um caso de corrupção dentro da Fifa, que está sendo investigado na Suíça,
Ricardo Teixeira tem seu nome ligado ainda a escândalos no Brasil. Documentos revelados pela Folha de S. Paulo apontaram que o cartola tem ligações com a empresa que superfaturou o amistoso da seleção brasileira contra Portugal, em 2008, no Distrito Federal. O caso foi investigado pela Polícia Civil de Brasília e está na Justiça Federal.

LEIA MAIS: Ministro do Esporte não sabe se Teixeira segue no comando do COL

Em dezembro, Ricardo Teixeira chegou a pedir uma licença do cargo de presidente da CBF e do COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo). Durante o período deixou de comparecer ao Mundial Interclubes e ao prêmio de melhor jogador do mundo, importantes eventos da Fifa, onde o dirigente já não goza de prestígio. Nas duas ocasiões, foi representado por José Maria Marin.

Segundo pessoas próximas ao cartola, problemas de saúde e questões familiares também o levaram a deixar o cargo. Um funcionário da entidade revelou ao iG que ele se diz cansado e que não aguenta mais o desgaste da sua imagem respingando na vida dos filhos.

Em setembro de 2011, Ricardo Teixeira chegou a ser internado no hospital Pró-Cardíaco, na zona Sul do Rio de Janeiro, no Rio de Janeiro. O cartola teve uma crise de diverticulite, processo inflamatório na parede do cólon, ligada ao intestino grosso.
 

Leia tudo sobre: CBFRicardo TeixeiraCopa de 2010Marco Polo Del Nero

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG