Em nota no site da entidade, cartola diz que José Maria Marin irá lhe substituir “interinamente” no cargo

Quase um dia após a informação da saída de Ricardo Teixeira da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) ser confirmada por presidentes de federações filiadas , o site da entidade divulgou a licença do cartola. Em uma nota de apenas uma frase, o dirigente afirma que José Maria Marin assumirá o cargo interinamente.

VEJA TAMBÉM: Ex-governador, Marin volta aos holofotes após duas décadas

“A partir desta data está designado o vice-presidente José Maria Marin para substituir-me interinamente no exercício da presidência da CBF”, diz o texto assinado por Ricardo Teixeira. Na nota, ele não diz por quanto tempo estará afastado e nem sobre o seu futuro no COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo), entidade que também preside.

Ricardo Teixeira não informou até quando ficará fora da CBF
Getty Images
Ricardo Teixeira não informou até quando ficará fora da CBF
Há 23 anos à frente da CBF, Teixeira tem mandato até 2015. Em fevereiro surgiram boatos de que o cartola, envolvido em denúncias de corrupção e com pouco trânsito no Governo Federal e na Fifa, poderia abandonar o cargo.

Na berlinda

Envolvido, segundo a BBC, em um caso de corrupção dentro da Fifa, que está sendo investigado na Suíça,
Ricardo Teixeira tem seu nome ligado ainda a escândalos no Brasil. Documentos revelados pela Folha de S. Paulo apontaram que o cartola tem ligações com a empresa que superfaturou o amistoso da seleção brasileira contra Portugal, em 2008, no Distrito Federal. O caso foi investigado pela Polícia Civil de Brasília e está na Justiça Federal.

LEIA MAIS: Ministro do Esporte não sabe se Teixeira segue no comando do COL

Em dezembro, Ricardo Teixeira chegou a pedir uma licença do cargo de presidente da CBF e do COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo). Durante o período deixou de comparecer ao Mundial Interclubes e ao prêmio de melhor jogador do mundo, importantes eventos da Fifa, onde o dirigente já não goza de prestígio. Nas duas ocasiões, foi representado por José Maria Marin.

Segundo pessoas próximas ao cartola, problemas de saúde e questões familiares também o levaram a deixar o cargo. Um funcionário da entidade revelou ao iG que ele se diz cansado e que não aguenta mais o desgaste da sua imagem respingando na vida dos filhos.

Em setembro de 2011, Ricardo Teixeira chegou a ser internado no hospital Pró-Cardíaco, na zona Sul do Rio de Janeiro, no Rio de Janeiro. O cartola teve uma crise de diverticulite, processo inflamatório na parede do cólon, ligada ao intestino grosso.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.