Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Catar pode dividir Copa com países do mundo árabe

Fifa abre possibilidade de país sede de 2022 passe alguns jogos para outros locais no Oriente Médio, como os Emirados Árabes. Mudança de calendário está descartada

Marcel Rizzo, enviado iG a Abu Dhabi |

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882733421&_c_=MiGComponente_C

A Fifa (Federação Internacional de Futebol Association) abriu possibilidade para o Catar, recém eleito país sede para a Copa do Mundo de 2022, dividir alguns jogos com outros países do Oriente Médio. Os Emirados Árabes Unidos, que recebe até sábado o Mundial de clubes, já manifestou interesse em receber algumas partidas.

A Fifa não vê problemas, mas são os países da região que precisam conversar a respeito e apresentar uma proposta clara, disse o secretário-geral da entidade, Jerome Valcke. No projeto apresentado pelo Catar, e que bateu as candidaturas da Austrália, da Coreia do Sul, do Japão e dos EUA, há apenas estádios dentro do país (seis deles na capital Doha).

Mas segundo o presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse ao jornal francês LEquipe, os projetos de Austrália, Coreia do Sul e do Catar previam, informalmente, realizar jogos em outros países, como Nova Zelândia, Coreia do Norte e Emirados Árabes Unidos.

Podemos nos preparar para receber partidas de uma Copa do Mundo. Temos estádios que poderiam ser reformados e que já são modernos. Essa disputa do Mundial de clubes mostrou que o país pode receber jogos de futebol, disse o presidente da federação de futebol dos EAU, Mohammad Khalfan Al Rumaithi. O campo do Al Jazira, o Mohammed Bin Zayed, foi reformado recentemente, aumentou de 15 mil para 45 mil a capacidade e tem instalações modernas. O Zayed Sports City, palco da final entre Inter de Milão e Mazembe (da República Democrática do Congo), com capacidade de 45 mil, é mais antigo e precisaria de melhorias.

Blatter chega aos EAU na noite desta quinta-feira horário de Abu Dhabi (tarde no Brasil), depois de passagem pelo Catar. Na sexta-feira a federação dos EAU vai oficializar o pedido para ser subsede da Copa do Mundo que será realizada daqui a 12 anos ¿ recebendo algumas seleções que forem à região jogar a Copa. Esta possibilidade é quase certa. Para ser sede especificamente é preciso acerto com o Comitê Organizador Local (COL) do Catar.

Na escolha das sedes de 2018 e 2022, duas candidaturas na Europa previam dois países como anfitriões: Espanha e Portugal e Bélgica e Holanda. Elas perderam para a Rússia, que realizará a Copa posterior a do Brasil em 2014. A vitória do Catar para ser sede da Copa, pelo menos nos EAU, é tratada discretamente. O futebol não é prioridade na região, que prefere o críquete. A Fifa pretende usar os 12 anos que faltam para o Mundial com eventos anuais para tentar fidelizar o esporte na região.

Sem mudança do calendário
O COL do Catar sugeriu à Fifa para que a Copa de 2022 mude de data, e não ocorra entre junho e julho, como é tradição. O calor é intenso (passa dos 40 graus) nessa época do ano no Oriente Médio. A sugestão foi que mudasse para janeiro e fevereiro, quando a temperatura é mais amena e fica próxima dos 30 graus.

Não acho possível porque você precisaria mudar todo o calendário mundial, para que os torneios não terminassem mais no meio da temporada. E não seria mais possível fazer Copas na Europa, porque em janeiro e fevereiro estaria muito frio. Mas uma decisão sobre isso só em 2015, quando a Fifa discutirá mudanças no calendário, disse Valcke.

Leia tudo sobre: copa do mundofutebolfutebol internacional

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG