Tamanho do texto

Fifa abre possibilidade de país sede de 2022 passe alguns jogos para outros locais no Oriente Médio, como os Emirados Árabes. Mudança de calendário está descartada

_CSEMBEDTYPE_=inclusion&_PAGENAME_=esporte%2FMiGComponente_C%2FConteudoRelacionadoFoto&_cid_=1237882733421&_c_=MiGComponente_C

A Fifa (Federação Internacional de Futebol Association) abriu possibilidade para o Catar, recém eleito país sede para a Copa do Mundo de 2022, dividir alguns jogos com outros países do Oriente Médio. Os Emirados Árabes Unidos, que recebe até sábado o Mundial de clubes, já manifestou interesse em receber algumas partidas.

A Fifa não vê problemas, mas são os países da região que precisam conversar a respeito e apresentar uma proposta clara, disse o secretário-geral da entidade, Jerome Valcke. No projeto apresentado pelo Catar, e que bateu as candidaturas da Austrália, da Coreia do Sul, do Japão e dos EUA, há apenas estádios dentro do país (seis deles na capital Doha).

Mas segundo o presidente da Fifa, Joseph Blatter, disse ao jornal francês LEquipe, os projetos de Austrália, Coreia do Sul e do Catar previam, informalmente, realizar jogos em outros países, como Nova Zelândia, Coreia do Norte e Emirados Árabes Unidos.

Podemos nos preparar para receber partidas de uma Copa do Mundo. Temos estádios que poderiam ser reformados e que já são modernos. Essa disputa do Mundial de clubes mostrou que o país pode receber jogos de futebol, disse o presidente da federação de futebol dos EAU, Mohammad Khalfan Al Rumaithi. O campo do Al Jazira, o Mohammed Bin Zayed, foi reformado recentemente, aumentou de 15 mil para 45 mil a capacidade e tem instalações modernas. O Zayed Sports City, palco da final entre Inter de Milão e Mazembe (da República Democrática do Congo), com capacidade de 45 mil, é mais antigo e precisaria de melhorias.

Blatter chega aos EAU na noite desta quinta-feira horário de Abu Dhabi (tarde no Brasil), depois de passagem pelo Catar. Na sexta-feira a federação dos EAU vai oficializar o pedido para ser subsede da Copa do Mundo que será realizada daqui a 12 anos ¿ recebendo algumas seleções que forem à região jogar a Copa. Esta possibilidade é quase certa. Para ser sede especificamente é preciso acerto com o Comitê Organizador Local (COL) do Catar.

Na escolha das sedes de 2018 e 2022, duas candidaturas na Europa previam dois países como anfitriões: Espanha e Portugal e Bélgica e Holanda. Elas perderam para a Rússia, que realizará a Copa posterior a do Brasil em 2014. A vitória do Catar para ser sede da Copa, pelo menos nos EAU, é tratada discretamente. O futebol não é prioridade na região, que prefere o críquete. A Fifa pretende usar os 12 anos que faltam para o Mundial com eventos anuais para tentar fidelizar o esporte na região.

Sem mudança do calendário
O COL do Catar sugeriu à Fifa para que a Copa de 2022 mude de data, e não ocorra entre junho e julho, como é tradição. O calor é intenso (passa dos 40 graus) nessa época do ano no Oriente Médio. A sugestão foi que mudasse para janeiro e fevereiro, quando a temperatura é mais amena e fica próxima dos 30 graus.

Não acho possível porque você precisaria mudar todo o calendário mundial, para que os torneios não terminassem mais no meio da temporada. E não seria mais possível fazer Copas na Europa, porque em janeiro e fevereiro estaria muito frio. Mas uma decisão sobre isso só em 2015, quando a Fifa discutirá mudanças no calendário, disse Valcke.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.