Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Cassano fica na Sampdoria, mas terá redução salarial

Polêmico atacante caiu em desgraça na equipe de Gênova no final de outubro, quando criticou publicamente o presidente do clube, Riccardo Garrone

Agência Estado |

Apesar de toda a polêmica em que se envolveu, o atacante Cassano vai continuar na Sampdoria, mas terá uma redução salarial de 50%. O clube italiano tentava romper o contrato dele, mas a justiça desportiva do país não permitiu a medida, optando por aplicar uma punição ao jogador.

Titular do time e presença constante na seleção italiana, Cassano caiu em desgraça na Sampdoria no final de outubro, quando criticou publicamente o presidente do clube, Riccardo Garrone. Desde então, ele ficou fora dos jogos. E o caso foi parar no tribunal.

Cassano até que pediu desculpas publicamente ao presidente, mas a Sampdoria manteve a intenção de romper seu contrato. A justiça desportiva, no entanto, manteve o vínculo, impondo uma suspensão ao jogador até o dia 31 de janeiro, além de lhe reduzir o salário.

Assim, Cassano poderá voltar a jogar pela Sampdoria a partir do dia 1º de fevereiro, mantendo seu contrato com o clube até o final, em junho de 2013 - ele já está lá desde 2007. Atualmente, ele recebe cerca de 5 milhões de euros (cerca de R$ 11,3 milhões) por temporada.

Diante dessa solução para o problema, a expectativa agora é que a Sampdoria venda Cassano em janeiro, quando reabre o período de transferências no futebol europeu. Juventus, Lazio, Parma e Genoa estariam interessadas no polêmico atacante de 28 anos.

Leia tudo sobre: futebol internacionalitaliano 2010itália

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG