Treinador acredita que características do futebol atual ajudam no desaparecimento de meias com características de Conca, Montillo e Paulo Henrique Ganso

A abertura da janela de transferências no fim do ano sempre leva ao São Paulo uma pergunta que persegue os dirigentes: quando o clube terá um meia-armador? O tão sonhado camisa 10 está em falta no elenco, e o técnico Paulo César Carpegiani manifestou sua admiração por atletas da posição, apesar de saber que é difícil de contratar.

"Todas as equipes que marcaram época no futebol, que ganharam e convenceram, tinham no ponta de lança seu grande jogador. Foi assim com Santos, Palmeiras, Cruzeiro, Inter, Flamengo... Muitas vezes, o time ganha título, mas não marca tanto como uma grande equipe. Mas esses jogadores estão escassos no futebol mundial", comentou. "Gostaria muito de ter um atleta assim, mas é tão difícil de alcançar".

O treinador acredita que as características do futebol atual ajudam no desaparecimento dos meias de criação com as características de Conca, Montillo e Paulo Henrique Ganso, que atuam no mercado nacional.

"Quando aparece no futebol um jogador assim, as pessoas o colocam para jogar do lado. É o caso do Ronaldinho, que foi para o futebol europeu e dali a um tempo passou a jogar na esquerda. Há jogadores como Conca e Montillo, que nem são brasileiros, além do Ganso e do Alex, que está há muito tempo lá fora. É difícil surgir este tipo de jogador", ponderou.

O treinador já descartou a hipótese de frear o estilo veloz de Lucas para colocá-lo na armação. "O Lucas tem dificuldade nesse aspecto. Ele tem uma qualidade boa, mas não com essa característica", concluiu.

    Leia tudo sobre: futebol
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.