Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Carpegiani pode ser demitido se for derrotado. Motivos não faltam

Técnico sofre com queda na Copa do Brasil, discussões com atletas e até a revelação de uma negociação sigilosa

Mário André Monteiro, iG São Paulo |

O São Paulo encara o Flamengo nesta quarta-feira, no Engenhão, pela 8ª rodada do Campeonato Brasileiro, e tenta uma vitória para recuperar-se da sequência ruim de duas derrotas consecutivas. Em caso de mais um revés, a situação do técnico Paulo César Carpegiani fica bastante complicada dentro do clube. Desde sua chegada ao Morumbi, em outubro de 2010, o treinador coleciona polêmicas, desentendimentos e teve até sua saída do clube anunciada, mas depois negada.

Siga o iG São Paulo no Twitter

No Campeonato Paulista de 2011, durante a vitória sobre o Linense, Carpegiani chegou a discutir com Dagoberto à beira do gramado e xingou o atacante de "bobalhão". Depois da partida, o técnico avisou que abriria mão do jogador se chegasse alguma proposta de outro clube. Dagoberto ficou e ainda foi multado

Entre para a Torcida Virtual do São Paulo e convide seus amigos

Em outro episódio parecido, o comandante discutiu com Rivaldo através da imprensa depois que o camisa 10 mostrou toda sua insatisfação por não ter entrado no jogo da eliminação são-paulina na Copa do Brasil, contra o Avaí. Carpegiani questionou o caráter do experiente meia e disse, na ocasião, que não trabalharia mais com o atleta. A diretoria resolveu manter os dois no clube e ainda aplicou uma multa a Rivaldo.

Aliás, a eliminação na Copa do Brasil deixou o treinador na corda bamba. No desembarque da equipe em São Paulo, o próprio presidente Juvenal Juvêncio admitiu que Carpegiani estava demitido e que o clube iria procurar um novo comandante. “Os bons técnicos estão empregados. É assim mesmo. Mas é claro que existe a chance de o São Paulo ir atrás de um técnico empregado. Esta é a lei do futebol, e eu não sou diferente. Sem agir com pressa, esta diretoria sempre teve atitude e agora terá outra vez", disse o mandatário na época.

Futura Press
Paulo César Carpegiani, técnico do São Paulo
Entretanto, a diretoria voltou atrás alguns dias depois, decidiu pela manutenção do treinador e encerrou os boatos da chegada de novos técnicos. Além de não terem boas opções disponíveis no mercado, um fator foi fundamental pela reviravolta. Carpegiani tem contrato com o São Paulo até o fim de 2011 e, em caso de quebra do vínculo por parte do clube, o técnico teria o direito de receber uma multa de R$ 1 milhão.

De demitido a prestigiado, Carpegiani teve um ótimo começo de Brasileirão pelo São Paulo, com cinco vitórias nas cinco primeiras rodadas, mas a derrota diante do Corinthians, por 5 a 0, e o péssimo futebol apresentado na derrota para o Botafogo, por 2 a 0, recolocaram o pescoço do treinador na guilhotina. Ainda mais depois de uma indisposição com a cúpula do clube.

Após o revés para os cariocas no Morumbi, o técnico revelou que foi consultado pela diretoria são-paulina sobre a contratação do meia argentino Cañete. A negociação, que era para ser sigilosa, foi divulgada por Carpegiani, irritando os dirigentes e fazendo com que o treinador, a partir desse momento, ficasse alheio à qualquer negócio com outros jogadores.

O fato é que, se for derrotado pelo Flamengo, Carpegiani continuará balançando no cargo. Porém, ele não deverá abrir mão de receber a quantia milionária se a diretoria do São Paulo resolver demití-lo. Sempre quando questionado sobre o assunto, o comandante desconversa, se diz seguro e passa a bola para a diretoria resolver.

Leia tudo sobre: São PauloBrasileirão 2011Carpegiani

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG