Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Carpegiani e Rivaldo "aparam arestas" e seguem no São Paulo

Treinador e meia se reuniram na tarde desta segunda com presidente Juvenal Juvêncio e teriam se entendido

Levi Guimarães, iG São Paulo |

AE
Rivaldo no desembarque do São Paulo após a derrota para o Avaí: clima parecia insustentável
Nada mudará no comando do São Paulo, pelo menos por enquanto. Na tarde desta segunda-feira, a diretoria do clube se reuniu com o técnico Paulo César Carpegiani e definiu a permanência do treinador no comando do time para a disputa do Campeonato Brasileiro. Além disso, o treinador teria feito as pazes com o meia Rivaldo.

Além da má exibição são-paulina na eliminação da Copa do Brasil diante do Avaí, a polêmica pós-jogo iniciada por Rivaldo foi um dos principais fatores para determinar a especulada queda de Carpegiani do cargo. Ainda no gramado do estádio da Ressacada, Rivaldo se disse humilhado por não ter jogado e, pouco depois, o treinador respondeu questionando o caráter do pentacampeão.

A reunião desta tarde teve, inicialmente, a presença do presidente Juvenal Juvêncio, do vice de futebol Carlos Augusto de Barros e Silva, o Leco, e do diretor de futebol João Paulo de Jesus Lopes, além do treinador e do meia. Depois de uma primeira conversa, Juvenal, Carpegiani e Rivaldo continuaram a conversa sozinhos.

Com o anúncio da permanência do treinador, o São Paulo retoma os treinos normalmente esta tarde, já visando à estreia no Campeonato Brasileiro, no próximo domingo, contra o Vasco, em São Januário. Após a atividade, as entrevistas coletivas do dia serão concedidas por Carpegiani e Rivaldo, que explicarão como foi a conversa com os dirigentes.

Na chegada ao CT da Barra Funda para os treinos, o time do São Paulo foi alvo de protestos de um grupo de cerca de trinta torcedores. Com faixas e gritos, eles protestaram chamando muitos jogadores de “pipoqueiros” e “paneleiros”. O lateral direito Jean viu pipocas e ovos serem atacados contra seu carro. E o presidente Juvenal Juvêncio foi chamado de “cachaceiro” por torcedores que mostravam garrafas de bebidas alcóolicas.

Leia tudo sobre: São Paulo

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG