Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Carlos Alberto Torres aponta Alemanha como favorita ao título mundial

Capitão da seleção na Copa de 1970 ainda elogiou a Espanha e mostrou-se descrente com relação ao time de Mano Menezes

Gazeta |

Capitão do tricampeonato mundial pela Seleção Brasileira, Carlos Alberto Torres se mostrou descrente com relação ao desempenho da equipe de Mano Menezes na Copa do Mundo de 2014, tanto que apontou a Alemanha como a grande favorita ao título da competição. O ex-jogador também aproveitou para elogiar a Espanha, atual campeã do torneio e que conta com a base de jogadores responsáveis pelo sucesso do Barcelona e do Real Madrid nesta temporada.

Leia também: Preços dos ingressos serão divulgados após aprovação da Lei da Copa

"O fato de jogar no Brasil vai levar o time para frente, vamos ganhar? Não é assim. Temos de estar preparados e esperar com paciência para ver nossa seleção. Na Europa, há seleções hoje num estágio muito mais adiantado. A própria Espanha e a Alemanha. Pouca gente fala da Alemanha, mas para mim é a seleção que vai chegar como a grande favorita", apontou Carlos Alberto Torres, em entrevista ao site "Portal da Copa".

Com base no rendimento da seleção nas duas últimas Copas do Mundo, o ex-atleta adotou um tom pessimista para analisar a qualidade dos jogadores que atuam pela equipe atualmente. Descrente no trabalho feito por Mano Menezes, Torres apontou que os times que fracassaram nas duas últimas edições do torneio eram superiores ao que vem sendo convocado ultimamente e que o título da competição só será conquistado se houver muita superação dentro de campo.

Veja ainda: Ricardo Teixeira evita nova exposição e usa Ronaldo como escudo

"Todo mundo quer ver o Brasil campeão no nosso país, mas temos de estar preparados. Será que o Brasil vai ganhar? Será que tem time? Sou otimista, mas realista. Hoje, o Brasil não tem time. Temos que lembrar que nas últimas duas Copas tínhamos seleção muito melhor que a atual e não ganhamos", acrescentou o ex-lateral.

Mesmo com todo o pessimismo apresentado pelo ex-jogador, Torres acredita que uma decepção no torneio não será equivalente ao Maracanazo de 1950, uma vez que o fanatismo pela seleção diminuiu consideravelmente. O ex-capitão da equipe nacional relembrou que o Maracanã também estava sendo inaugurado naquele Mundial e que um novo fracasso na competição deverá ser melhor administrado emocionalmente pelos brasileiros.

E mais: Imagens das obras no Mineirão são divulgadas

"É coisa de momento. O futebol hoje ganhou outra dimensão. É logico que o fanatismo em torno da seleção ainda existe, mas acho que vivemos em outra época. Há de se levar em consideração que era a estreia de um estádio, o Maracanã, que foi feito justamente para aquela Copa. Então, evidentemente que todo brasileiro queria ver o Brasil ganhar, até porque tinha um bom time. Mas acho que essa coisa de Maracanazo não existe mais", completou o ex-jogador.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG