Goleiro afirmou que assume sua responsabilidade pela fase do Cruzeiro e quer grupo unido de agora em diante

Um dos jogadores citados por Gilberto nas polêmicas declarações no aeroporto de Confins , o goleiro Fábio não fugiu da sua responsabilidade pela atual fase do clube. Capitão do time, Fábio cobrou comprometimento de todos os atletas e afirmou que o colega de time foi infeliz ao citar nomes de outros jogadores durante o protesto da torcida . Nas entrelinhas, Fábio mandou um recado para Gilberto: quem não quiser jogar no Cruzeiro deve ir embora.

Siga o iG Cruzeiro no Twitter e receba todas as informações do seu time

Fábio voltou a treinar nessa quarta-feira com uma proteção na cabeça depois de ser cortado da seleção por conta da pancada que recebeu no local na partida contra o Fluminense . O goleiro não fugiu de sua responsabilidade pelo atual momento do clube, que se aproxima da zona de rebaixamento. "Ainda não tive a possibilidade de falar com ele. Se ele (Gilberto) citou (meu nome) foi infeliz. Para mim não tem problema nenhum, estou aqui no Cruzeiro há sete anos. Minha responsabilidade eu sempre assumo. Não vou citar ou deixar de citar alguém. A responsabilidade, tanto na vitória ou na derrota, é daqueles que chamam a responsabilidade. Como torcedor do Cruzeiro, estou mais chateado ainda com essa situação", afirmou o goleiro.

Entre para a torcida virtual do Cruzeiro e convide seus amigos

O goleiro cobrou atitude dos companheiros no momento complicado e mandou um recado para Gilberto, que já quase saiu do clube em outras oportunidades. "Temos que ter atitude de homem, de vencedor, independentemente de idade, de nome. Tem que querer jogar no Cruzeiro. Aqui tem que ficar quem quer jogar, quem está com vontade de defender essas cores. Sempre falo isso com os jogadores. Quem não tem isso, tem que pedir para ir embora", cobrou o goleiro.

Fábio negou que o elenco cruzeirense esteja rachado e que tenha formado um grupo de jogadores ligados à religião. "O grupo do Fábio é o Cruzeiro. Prezamos por isso, faço o melhor pelo time, independentemente de quem possa não gostar. O primeiro pensamento aqui é ter o grupo unido. Principalmente, da minha parte, em termos de religião, sei bem para quem eu falo e quem quer escutar de religião. Jesus está aí para todos, quem não quiser é livre para optar e ter as conseqüências para a própria vida", concluiu o goleiro cruzeirense.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.