Em entrevista ao iG, Mengálvio revela medicamento que o fez jogar a final contra o Peñarol em 1962

O ex-volante do Santos Mengálvio, considerado o melhor camisa 8 da história do clube, tem a receita para acabar com qualquer dúvida em relação a participação do meia Paulo Henrique Ganso na decisão da Copa Libertadores da América, diante do Peñarol nesta quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), no estádio do Pacaembu.

Mengálvio sugeriu uma ‘pomada milagrosa’, utilizada por ele contra o mesmo Peñarol, na final da Libertadores de 1962, para recuperar o atual camisa 10 do Santos. Em entrevista exclusiva ao iG , o ex-camisa 8 revelou que precisou do medicamento para jogar o duelo contra os uruguaios e ajudar o Santos a vencer por 3 a 0 no estádio Monumental de Nuñez, na Argentina. O resultado garantiu ao clube a conquista do título continental.

“Era uma pomada muito boa, poderia ajudar o Ganso a jogar, mas hoje não existe mais. Por outro lado, existem outros medicamentos hoje em dia para ajudá-lo”, afirmou Mengálvio, que ao recordar do título de 62, destaca a lesão no tornozelo direito e a pomada utilizada, batizada pelo ex-jogador como ‘oração milagrosa’.

“Naquele jogo tinha que trocar no primeiro tempo, conforme a regra. Eu sofri uma lesão no tornozelo direito faltando dez minutos para acabar o primeiro tempo. Eu avisei que sofri a lesão, mas acabou os 45 minutos e continue no jogo. No vestiário, nosso médico Ítalo Constantino fez uma ‘oração diferente’ no meu tornozelo, que ficou beleza. Não sei que pomada milagrosa ele usou”, disse Mengálvio.

Apesar de jogar os 90 minutos, o ex-volante também revelou que o ‘milagre’ durou apenas 45 minutos, já que Mengálvio voltou a sentir muitas dores após o término da partida, e deixou o campo com o pé engessado.

“Depois que acabou o jogou a bendita pomada acabou o efeito e meu tornozelo latejava, a carne balançava. A pomada era a oração milagrosa, mas eu sai de lá engessado do estádio”, recordou o ex-jogador do Santos.

Considerado o maior camisa 8 da história do Santos, Mengálvio encontra Elano, atual camisa 8 do time
Divugação
Considerado o maior camisa 8 da história do Santos, Mengálvio encontra Elano, atual camisa 8 do time

Mengálvio minimiza fator casa na final contra o Peñarol

O ex-atleta do Santos está confiante no terceiro título da Libertadores, mas alertou o time de Neymar e companhia a não confiarem no fato de decidir a competição jogando no Brasil. Mengálvio, inclusive, ressaltou que na conquista de 1962, a equipe santista perdeu em casa para o Peñarol, e levantou a taça após vencer os uruguaios em campo neutro, já que a terceira e última partida foi disputada na Argentina.

“Temos botar na cabeça que não existe o fator de jogar a decisão no Pacaembu. Não tem que escolher lugar para jogar. Nós jogamos na Vila e a dificuldade foi grande, então esse fator da torcida estar junto não diz nada. Pois o adversário sabe jogar fora e para eles não tem campo não”, afirmou.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.