Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Caminho está aberto para Flamengo, mas obstruído para a Traffic

Clube ficou muito perto de anunciar Ronaldinho Gaúcho oficialmente, mas a empresa que deu garantia ao Milan pode perder negócios

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

O caminho está aberto para o Flamengo. Depois do Grêmio, o Palmeiras anunciou a desistência na disputa por Ronaldinho, copiando os gaúchos também nas críticas a Assis. Restam agora detalhes jurídicos que estão sendo alinhavados em reuniões dos advogados do atleta e do Flamengo para que o anúncio oficial seja feito por Patrícia Amorim, o que pode acontecer neste domingo, mas deve ficar para segunda-feira.

Calada, a diretoria carioca teve um grande trunfo na negociação: a participação da Traffic, empresa que tem relações com os dois ex-concorrentes na disputa, Palmeiras e Grêmio. Com o time paulista a parceria era fixa, no papel. Se já não funcionava tanto no futebol, seguia firme no projeto do novo estádio do clube. Os mandatários do Palmeiras já deram indícios de que podem afastar a Traffic do negócio milionário. O mesmo acontece com o Grêmio, que também se aproximou da empresa para exploração da sua nova arena e agora poderá rever sua posição, como alardearam seus cartolas.

O papel da Traffic ao lado do Flamengo foi fundamental. Dela partiram as garantias ao vice-presidente do Milan, Adriano Galliani, de que o clube receberia uma parte da multa, e que Ronaldinho Gaúcho receberia o seu salário para não voltar à Itália querendo cobrar uma suposta dívida nessa transação.

O respaldo da empresa o levou a dizer, na quinta-feira, com todos na briga, que preferia ver o jogador no clube carioca. Depois da reunião com a presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, no sábado, afirmou que havia 99,9% de chance do craque vestir vermelho e preto. Foi a deixa para as desistências de Grêmio e Palmeiras. Gente próxima de Amorim já sugere à presidente que dê um título de sócio-proprietário ao italiano. A garantia ao Milan por Ronaldinho se aproximou dos quatro milhões de euros.

Os vencimentos de Ronaldinho podem atingir R$ 2 milhões, justamente com a Traffic coordenando a exploração de imagem e possivelmente recebendo royalties da venda de camisas do atleta. A empresa pagará boa parte do salário fixo, em torno de R$ 1,2 milhão, sendo que os demais R$ 800 mil foram detalhados em projeções para ações de marketing do clube e parcerias para exploração de imagem pela Traffic. Flamengo e Olympikus pagam parcelas menores desses valores.

A fornecedora de material esportivo deve entrar com mais força no pagamento de Thiago Neves. O Flamengo fez a sua última oferta para liberação do jogador no mundo árabe e o empresário Léo Rabello deve dar uma resposta definitiva nesta segunda-feira. Na Gávea, alguns dão o reforço como certo, mas o mesmo otimismo não transparece na outra ponta da negociação.

O reflexo da provável contratação de Ronaldinho Gaúcho já é sentido diretamente no departamento de marketing da Gávea. A arrastada negociação para conseguir outro patrocinador que pagasse R$ 22 milhões anuais sem exclusividade de exposição nos uniformes teve uma inversão de papéis. Em vez do clube procurar interessados, agora é procurado e pode fechar em valor acima do patrocínio de 2010, cujo pagamento foi interrompido pela Batavo em outubro, causando graves problemas. O jogador possivelmente receberá uma cota desse novo patrocínio, calculada sobre o valor que exceder a cota estipulada pelo clube.

Enquanto a torcida do Grêmio protesta contra Assis e Ronaldinho, a do Flamengo se prepara para festejar, e tripudiar. As caixas de som no Olímpico, retiradas a pedido do presidente gremista, Paulo Odone, devem ser o tema da brincadeira. Alguns líderes de organizada, que estiveram na frente do apartamento de Galliani no sábado, planejam enviar uma caixa de som ao presidente do time gaúcho.

Leia tudo sobre: FlamengoRonaldinho Gaúchomercado da bola

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG