Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Cambalhota pode estrear pelo Atlético-MG contra um velho rival

Atacante do Atlético-MG jogou quase três anos no Coritiba e ficou marcado por ter feito gol no Atletiba

Gazeta |

Ídolo no Japão, onde foi o maior artilheiro da história do Kashima Antlers, o atacante Marquinhos Cambalhota foi relacionado pelo técnico Dorival Junior e pode fazer sua estreia pelo Atlético-MG, neste sábado, contra o Atlético-PR. O jogador, que não vinha atuando por não estar inscrito no Campeonato Mineiro, se mostrou contente com seu desempenho nos treinamentos. Ansioso, ele revelou o objetivo de corresponder rapidamente às expectativas para ganhar a confiança de Dorival Junior e do torcedor atleticano.

"Foi muito complicado ficar de fora acompanhando a equipe sem poder ajudar no Campeonato Mineiro. Estou aliviado por esse período ter passado e por finalmente estar relacionado para uma partida. Treinei muito, mais de quarenta dias desde que fui contratado. Venho fazendo gols durante as atividades no CT, melhorando a cada dia que passa, e me sinto em condições de fazer o meu melhor, caso tenha uma chance no jogo", afirmou.

Cambalhota iniciou sua carreira no Operário do Mato Grosso do Sul, mas ganhou destaque nacional atuando pelo Coritiba, onde ficou de 1999 a 2001. Seu maior rival na ocasião era o Atlético-PR, coincidentemente, o adversário do Galo na estréia do Campeonato Brasileiro. E foi justamente num Atletiba, em 2001, que aconteceu o episódio que deu ao atacante o apelido de Cambalhota. Após marcar o segundo gol da vitória do Coritiba por 2 a 0, ele fez a acrobacia na frente do goleiro Flávio, que havia o provocado antes do jogo. O fato marcou a partida que é lembrada até hoje pela torcida do Coritiba.

"Foi uma coincidência muito grande essa possibilidade da minha estréia poder ser justamente contra o Atlético-PR. O torcedor deles não deve ter boas lembranças de mim por causa dos gols que marquei quando jogava pelo Coritiba e, principalmente, pelo jogo em que dei a cambalhota na frente do Flávio. Mas isso ficou no passado. Respondi a uma provocação, mas hoje sou um jogador mais maduro. Tenho um enorme respeito pelo Atlético-PR", disse.

Questionado sobre uma possível comemoração caso tenha a oportunidade de atuar e balançar as redes, o atacante alvinegro afirmou que ainda pensou em nada especial. "Ainda não pensei na comemoração caso entre e faça um gol. Pode ser a cambalhota ou não. Mas com certeza não será na frente do goleiro muito menos para menosprezar o Atlético-PR, algo que nunca tive intenção", finalizou.

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG