Tamanho do texto

Depois de controlar vestiário, método de Renato Gaúcho ajudou Mário a ser titular

Renato Gaúcho controla comportamento dos jogadores na base do dinheiro
Wesley Santos/Pressdigital
Renato Gaúcho controla comportamento dos jogadores na base do dinheiro
O método não é novo, mas continua dando resultado. Implantada em 12 de agosto de 2010, quando Renato Gaúcho foi contratado para salvar o Grêmio do rebaixamento no Brasileirão, a caixinha do vestiário tem a sua mais nova "vítima": Mário .

Entre para a Torcida Virtual do Grêmio e convide seus amigos

Twitter iG Grêmio: Notícias e comentários em tempo real

Foi após uma multa pesada, resultado de falta a treinamento, em 22 de abril , que o zagueiro improvisado como lateral-direito voltou a ter o nível de atuação, em 2011, que o projetou como promessa dois anos antes. Desarmes precisos, arrancadas, assistências e finalizações, enfim, são de novo a realidade do jogador.

Tudo passou pela retomada da confiança do treinador. Mário corrigiu o problema, detectado por Renato, nas jogadas pelo alto, passou a atuar no time reserva no Gauchão e, com a lesão de Gabriel, virou titular. Ajudou a defesa a não tomar gol nos últimos jogos do Nacional .

"Ele só me deu problema aquela vez. Acho que aprendeu a lição, afinal, custou caro. Agora, está aproveitando as oportunidades. Ele sabe que leva vantagem comigo pois joga bem em duas posições", analisou Renato.

O valor da multa, revelada na entrevista de terça-feira, na qual o treinador passou boa parte do tempo analisando os prós e contras de mantê-lo ou sacá-lo do time , foi de R$ 2 mil. Pelas regras, a falta não justificada rende R$ 1,5 mil. Mas...

"Depende do meu dia. Naquele achei que ele merecia pagar mais".

E é assim. Renato é o juiz da caixinha. Define valor, o que rende multa e o prazo de pagamento. Tudo a partir de regras avisadas aos jogadores. Nesta lógica, apesar de nem todas as punições serem reveladas, excesso de peso (cada quilo rende R$ 500), uso de joias em treinos (R$ 200), expulsões infantis, enfim, qualquer transgressão pega o bolso do jogador.

"Eles ganham bem, então, é fácil tirar dinheiro. É preciso caso contrário eles tomam conta", defendeu Renato.

As regras valem para o chefe. Ele precisou pagar após o seu celular tocar em uma palestra de preparação a jogo. No ano passado, depois de controlar um vestiário com problemas disciplinares, o total arrecadado foi doado ao Instituto Geração Tricolor, órgão criado para auxiliar as famílias de funcionários do clube. Neste, ainda será decidido.

Até porque há novos atletas. Marquinhos, por exemplo, chegou acima do peso e ganhou prazo até segunda-feira para escapar da multa...

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.