Publicidade
Publicidade - Super banner
Futebol
enhanced by Google
 

Caio se esquiva de polêmica com Joel Santana: "Estou surpreso"

Ex-técnico do Botafogo não gostou de declarações do atacante, que destacou a mudança tática na equipe

Renan Rodrigues, iG Rio de Janeiro |

O atacante Caio, do Botafogo, respondeu as criticas do ex-treinador da equipe, Joel Santana, no treinamento desta quinta-feira, após a vitória por 2 a 1 sobre o Paraná. A polêmica começou na última terça-feira, quando o jogador comemorou o fato de não ter que atuar mais improvisado na lateral-direita e da postura mais ofensiva adotada pelo novo treinador da equipe.

Ao saber das declarações, Joel Santana respondeu ao jovem atacante. "Quem é o Caio? Ele é um garoto que não sabe o que fala. Tem que levar uns cascudos para aprender", disse em entrevista ao jornal "Marca Brasil". Ao chegar ao Rio, na manhã desta quinta-feira, Caio foi informado das alfinetadas do ex-comandante e se esquivou de nova polêmica.

"Fiquei surpreso porque achei que o que eu falei não foi nada demais. Eu disse que o professor Caio Júnior gosta de jogar mais pra frente, que admira um time que faz muitos gols. Fui pego de surpresa, talvez foi colocado diferente pra ele, ele entendeu errado. Como o próprio Joel disse, quem é o Caio para falar dele? Não sou ninguém. Ele me ensinou muitas coisas, não falaria nada do Joel. Estou surpreso, sem palavras", declarou o atacante do Botafogo.

Revelado pelo técnico Estevam Soares, foi com Joel Santana que o jogador recebeu mais oportunidades e se firmou na equipe titular. Arrependido da repercussão do caso, o atacante admite telefonar para o ex-comandante e se desculpar. "Se tiver que ligar para ele, ligo sem problemas. Posso pedir desculpas. O Joel é um cara tão vacinado com isso, com essas coisas de imprensa, tem uma experiência enorme, que poderia me procurar, perguntar se falei isso. A gente vai resolver isso ai", disse Caio.

Envolvido em algumas polêmicas desde que foi lançado ao time principal, Caio lamentou o problema e chegou a se emocionar no final da entrevista. "Teve aquele problema com a torcida, que não foi legal. A briga com o Herrera também, espero que isso sirva de lição para os jogadores que estão subindo ao profissional. Só quero ser feliz aqui. Não quero ficar marcado por polêmicas. Minha mãe que é mais emotiva liga triste, chorando. Eu fico muito mal também, porque não sou assim", declarou o jogador do Botafogo.

Leia tudo sobre: botafogocopa do brasil 2011

Notícias Relacionadas


Mais destaques

Destaques da home iG