Tamanho do texto

Para técnico, derrota de 5 a 0 para o Corinthians não significa fragilidade do adversário desta quarta

O adversário do Botafogo nesta quarta-feira, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro, vive dois sentimentos distintos. Apesar de liderar o torneio nacional, o São Paulo vem de uma goleada sofrida para o rival Corinthians , que provocou declarações fortes de Dagoberto e esquentou o ambiente no time do Morumbi. Porém, o técnico Caio Júnior prefere se preparar para um adversário bem superior ao que foi humilhado no último domingo.

Siga o iG Botafogo no Twitter e receba todas as informações do seu time em tempo real

Segundo o técnico da equipe carioca, analisar a atuação do São Paulo após a expulsão do volante Carlinhos Paraíba pode ser perigoso, pois para Caio Júnior, o jogo se tornou atípico e não expressa o verdadeiro potencial do time do Morumbi. O treinador espera um adversário rápido e bastante ofensivo.

"A análise que faço do São Paulo é a do primeiro tempo com Corinthians, quando jogo com igualdade e teve até chances de abrir o placar. Uma análise de 10 jogadores para mim não serve. Depois da expulsão e do primeiro gol a partida se tornou totalmente atípica. O adversário continua sendo fortíssimo e jogará em casa, mas temos que ter personalidade para encarar tudo isso", declarou Caio Júnior.

Entre para a Torcida Virtual do Botafogo e convide seus amigos

Além de ainda não ter vencido fora de casa, a partida desta quarta-feira pode ser importante para o Botafogo diminuir a vantagem do adversário. A equipe carioca tem 11 pontos, na quarta colocação, enquanto o São Paulo lidera com 15.

"Será um jogo interessante na tabela, porque é o líder. Ganhando o jogo, eles já abrem uma distância do Botafogo, então pode ter certeza que a gente vai entrar muito ligado. Pode ser o chamado jogo de seis pontos para qualquer um dos lados. Além disso, é uma partida que pode criar o espírito de onde a gente quer chegar", disse o treinador do Botafogo.

A principal preocupação de Caio Júnior é com o setor ofensivo da equipe paulista, que possui jogadores rápidos e que tentam o drible. Para o treinador do Botafogo, marcar bem os homens de frente é uma das chaves para a vitória na partida desta quarta-feira.

"O São Paulo tem uma equipe bem ofensiva. No papel é um 4-3-3, na frente, imagino que seja a mesma equipe com Marlos, Dagoberto e Fernandinho, jogadores rápidos, que gostam do mano a mano, do drible. Se conseguirmos marcar esses três atletas, temos chances maiores de vencer".

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.